Goleada recupera Espanha e Torres

Com dois gols do atacante do Chelsea, atual campeã do mundo faz 4 a 0 na Irlanda e assume liderança do Grupo C

GDANSK, POLÔNIA, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2012 | 03h05

Pelo menos na festa realizada nas arquibancadas do estádio de Gdansk os irlandeses conseguiram competir de igual para igual com os espanhóis. Dentro do campo, porém, a diferença técnica entre as seleções ficou exposta na maior goleada até aqui na Eurocopa. Com dois gols de Fernando Torres, um de David Silva e outro de Fábregas, a Espanha fez 4 a 0, sem dó nem piedade. E a vantagem só não foi maior por causa da boa atuação do goleiro Given.

A vitória deixou a atual campeã do mundo na liderança do Grupo C, com quatro pontos, mesmo número da Croácia, que na abertura da rodada empatou por 1 a 1 com a Itália. A vantagem espanhola está no saldo de gols (4 a 2). A Irlanda, por sua vez, ainda não pontuou e foi a primeira seleção a ser eliminada da competição.

A definição das duas vagas para a fase eliminatória vai acontecer na segunda-feira. Espanha e Croácia se enfrentam em Gdansk. O empate garante a classificação da "Fúria". O primeiro lugar, no entanto, depende do resultado do confronto entre Itália e Irlanda, em Poznan. Os italianos têm dois pontos e com uma vitória também chegariam aos cinco, o que levaria a definição para o saldo de gols. Em caso de vitória espanhola, o primeiro lugar está garantido.

Passeio espanhol. Pressionado pelo empate na estreia diante dos italianos, o técnico espanhol Vicente Del Bosque mudou o esquema e escalou a equipe com um atacante de referência, no caso Fernando Torres. Com os tradicionais posse e toque de bola, a Espanha não encontrou dificuldade para dominar a frágil Irlanda. Missão facilitada pelo fato de o primeiro gol ter saído logo aos quatro minutos de jogo, com Torres.

Mesmo atrás do placar, o técnico da Irlanda, o italiano Giovanni Trapattoni, manteve a seleção verde na retranca. Enquanto o goleiro Given fazia grandes defesas e se transformava no destaque irlandês, seu colega espanhol, Casillas, do Real Madrid, precisava se exercitar para se manter aquecido e suportar os 10 graus C registrados durante a partida.

A Espanha não aliviou e no segundo tempo fechou a goleada com boa movimentação de seus atacantes e a intensa participação dos jogadores de meio-campo, como Iniesta e Xavi, do Barcelona, e Xabi Alonso, destaque do Real Madrid.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.