Goleador festeja a força do São Paulo

Washington entende que time mostra evolução a cada rodada

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2009 | 00h00

Washington está a apenas um gol da artilharia do Campeonato Paulista. No duelo com Keirrison, ontem, foi mais feliz e anotou seu 11º gol na competição. Está satisfeito por se aproximar do palmeirense. O atacante, porém, vibra mesmo é por ver o São Paulo mais forte a cada rodada."Encostamos no líder. O São Paulo está de parabéns", comemorou. "Estamos chegando, crescendo no momento certo, como foi no Brasileiro do ano passado (quando o time, do qual não fazia parte, foi campeão). Estamos atingindo nossa melhor forma física e o entrosamento em campo."Washington acredita que na quinta-feira, contra o Guaratinguetá, no Morumbi, o time já conseguirá garantir a classificação para as semifinais. Até um empate pode ser suficiente, dependendo de outros resultados. Para o atacante, é fundamental conquistar logo a vaga. "Até para termos depois um descanso, que estamos precisando", disse, imaginando um time misto na última rodada, contra o São Caetano. "Aí vamos chegar mais forte na semifinal."Muricy Ramalho deve mesmo colocar reservas no jogo final da fase classificatória, que será em Presidente Prudente. "O nosso problema está sendo esse, não temos tempo para treinar e nem para recuperar o time", falou o treinador. "A condição física não é a melhor, os jogadores sentem mesmo."Dos 11 gols marcados por Washington no Estadual, apenas dois foram de cabeça. "Fazia tempo que não fazia, desde o primeiro jogo", lembrou o artilheiro. "Vinha treinador para isso. Fico feliz com o grande momento do São Paulo." O gol foi também um presente de aniversário antecipado - completará 34 anos na quarta-feira. "Nada melhor do que fazer um golzinho como presente."O camisa 9 não foi o único herói do time. Ele elogiou Hernanes, dono do cruzamento para o gol, e a defesa tricolor. "É um mérito não deixar a bola chegar para quem decide", falou, referindo-se ao pouco espaço que Keirrison teve.André Dias, um dos melhores jogadores em campo, recebeu os parabéns até do palmeirense Marcos. "Ele joga demais", disse o goleiro. "Uma pessoa como o Marcos é difícil de encontrar no futebol e fico feliz com o elogio", agradeceu o zagueiro. "Sofremos um pouco no segundo tempo, mas tivemos determinação e foi importante vencer esse clássico."Rogério Ceni teve pouco trabalho, mas reclamou da desatenção do time em determinados momentos. "No segundo tempo tivemos mais cadência. No meio da partida a gente se afobou um pouquinho", explicou. O goleiro minimizou o fato de o Palmeiras não vencer o São Paulo no Morumbi desde 2002. "Não me apego em tabus. Ligo pro jogo em si", disse. VISÃO DE JOGO"Fizemos quatro clássicos e só perdemos um. E ainda somos os líderes""Foi um jogo com duas oportunidades para cada lado, muito truncado. Um jogo que ficou preso na marcação""Temos de estar preparados para enfrentar qualquer time (na semifinal)""É muito difícil ganhar da gente aqui (no Morumbi). Nosso time é muito forte quando chega para decidir" "Ganhamos do melhor time do campeonato" "O importante é classificar, mas se puder buscar posição melhor será importante"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.