Rodrigo Lee/Arquivo Pessoal
Rodrigo Lee/Arquivo Pessoal

Golfista brasileiro comemora retorno das competições: 'Me sinto seguro para voltar'

Rodrigo Lee disputa nesta quinta o Korn Ferry Tour, torneio que dá acesso ao PGA TOUR, o principal circuito da modalidade

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2020 | 10h00

Há três meses sem competir, o golfista Rodrigo Lee retornou aos Estados Unidos para participar do Korn Ferry Tour, torneio que dá acesso ao PGA TOUR, o principal circuito da modalidade. O brasileiro entrará em cena nesta quinta-feira, na Flórida, e ressalta se sentir seguro em competir durante a pandemia do novo coronavírus, por ser uma disputa ao ar livre e sem contato com o adversário.

"É difícil retornar durante a pandemia, mas não temos escolha. Trabalhei muito para chegar aqui e vou voltar dando o meu máximo. Me sinto seguro para voltar", diz Lee. "A cada dia tudo está voltando normal nos EUA. Vejo muitos carros nas ruas e comércios abertos. Nos campos de golfe também. Vejo muita gente treinando e jogando. Acredito que estão aproveitando o que não conseguiram jogar durante o período de isolamento social".

Lee passou o período de quarentena em São Paulo e conseguiu retornar para os EUA em maio, antes de Donald Trump proibir voos vindos do Brasil. "A organização divulgou a data e uma das medidas propostas para o retorno seguro do golfe foi que todos deveriam viajar para os Estados Unidos com pelo menos 15 dias de antecedência ao torneio. Me programei para vir o mais rápido possível e treinar um pouco antes da competição, porque em São Paulo os clubes de golfe estavam todos fechados", conta.  

"Quando sai do Brasil fiquei preocupado com a viagem. O meu voo estava praticamente lotado e não tirei a máscara em nenhum momento. Sempre ando com álcool em gel e máscara. Já nos Estados Unidos fui submetido ao teste do covid-19, outra exigência da organização, e durante a competição vamos ter que refazer os testes todos os dias, inclusive em dias de treinamento", complementa o golfista.

O Korn Ferry Tour, que será disputado até o dia 14 deste mês, chegou a adiar boa parte desta temporada. Pela mudança no calendário, o brasileiro deve disputar as etapas do circuito até 2021 e ninguém será promovido ao PGA TOUR em 2020. "É difícil dizer agora como será o restante do ano, mas a organização está com medidas preventivas muito fortes contra o coronavírus. Se tudo der certo, acredito que jogaremos de 15 a 18 torneios ainda nesta temporada", avalia Lee.

Tudo o que sabemos sobre:
golfecoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.