Golfista é o melhor atleta do mundo

O golfista norte-americano Tiger Woods e a atleta australiana Cathy Freeman foram os grandes destaques da entrega do "Oscar do Esporte", o Laureus World Sports Awards 2001, na sua segunda edição, hoje em Mônaco. Woods, o maior fenômeno da história do golfe, venceu na categoria "Maior esportista masculino" enquanto Freeman, no feminino. A megaprodução do evento promovido pela World Sports Academy e a pompa de tudo o que o envolveu, como a elegância dos mais ilustres esportistas do mundo, o transformaram numa cerimônia que nada deixou a dever ao organizado pela Academia de Cinema de Hollywood. Woods não pôde comparecer para receber a premiação da Academia, mas o vencedor de quatro grandes slams, ano passado, feito nunca antes conseguido por outro golfista, gravou um depoimento agradecendo a escolha. Cerca de 300 jornalistas do mundo inteiro votaram na escolha dos melhores da última temporada no esporte. Cathy Freemam, bicampeã mundial e ouro nos 400 metros rasos em Sidney, esteve presente e se emocionou. A seleção de futebol da França, conforme o esperado, ganhou entre as "Equipes do ano", no que foi aplaudida até pelo príncipe Albert, presente no espetáculo. Além de desbancar o Brasil do primeiro lugar no ranking da Fifa, os franceses venceram a Copa do Mundo em 1998 e no ano passado conquistaram a Copa da Europa. Quase todos os 39 membros honorários da Academia estavam presentes hoje na elegante cerimômia patrocinada pela Mercedes e a Cartier, como Edwin Moses, hoje seu maior dirigente, Boris Becker, Claudio Tomba, Nadia Comaneci, Michael Jordan e tantos outros. Coube a Emerson Fittipaldi, pertencente à entidade, dizer "The Laureus goes to Tiger Woods", no melhor estilo do que se faz entre os destaques do cinema. Dentre os novatos que surgiram com força no esporte ganhou o tenista russo Marat Safin. Cada vencedor tinha reproduzida em grande telas imagens de suas mais importantes conquistas, à frente de um cenário futurista que reunia classe e praticidade nas mudanças, a fim de receber grupos musicais, como Step, cantoras, LeAnn Rimes, dançarinos no gelo, a exemplo dos campeões mundiais Maurizio Margaglio e Barbara Fusar Poli e demonstrações de ginástica olímpica. Uma das esportistas mais aplaudidas foi a norte-americana Jennifer Capriati, vencedora do "Oscar" na categoria "Voltaram a competir." Jeniffer havia deixado as quadras e se envolvido com drogas. Superou o momento difícil, voltou a treinar e no início do ano conquistou o Alerto da Austrália. O seleto público presente no sofisticado Grimaldi Forum aplaudiu de pé, durante bom tempo, o espanhol Juan Antonio Saramanch, que destacou a importância que a premiação está ganhando no meio esportivo. O circumnavegador solitário Mike Horn ficou com o prêmio como o melhor dentre os "Esportes alternativos", enquanto o australiano Vinny Lauwers levou o "Oscar" dentre os paraplégicos. Ao serem reproduzidas as imagens do feito de Vinny, que sem dispor das pernas navegou sozinho num veleiro e completou uma volta ao mundo, toda a platéia o ovacionou por minutos. Ganharam ainda premiações especiais, pelo conjunto de suas obras, o remador inglês Steve Redgrave, medalhista nas quatro últimas olimpíadas, e o queniano Kip Keino, que além do passado no atletismo mantém hoje no seu país importante programa de assistência a crianças orfãs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.