Gomes ressalta superação. Cicinho reclama da reserva

Gomes ressalta superação. Cicinho reclama da reserva

Ricardo Gomes lamentou as falhas do São Paulo. De acordo com o treinador, o time perdeu a partida na etapa inicial.

, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2010 | 00h00

"O jogo foi bem claro: o Corinthians foi melhor no primeiro tempo e o São Paulo, no segundo", analisou. "A gente insistia no toque curto, jogamos com pouca inteligência. Nossa única boa jogada foi no gol", lembrou. "Depois, abri o Fernandinho e conseguimos desestabilizar o bloco corintiano. A gente estava o tempo todo batendo no muro deles."

O treinador elogiou a postura da equipe no tempo final e espera a mesma atuação no jogo de quarta-feira, contra o Monterrey, pela Libertadores. "Voltamos melhores. Eles fizeram o terceiro gol, mas mostramos coragem e ousadia para buscar o empate."

O volante Rodrigo Souto seguiu a linha do comandante. "A equipe está de parabéns pela determinação."

Cicinho, que entrou no segundo tempo, reclamou por ficar no banco de reservas. O lateral-direito pede uma vaga de titular. "Falam que estou sem ritmo, mas preciso jogar para ganhar esse ritmo. Hoje me considero reserva e isso me incomoda", disse. Ricardo Gomes preferiu não polemizar as declarações de Cicinho. "Não quero mesmo jogadores satisfeitos na reserva", afirmou.

Depois da partida, o goleiro Rogério Ceni levou um susto e a confusão foi armada no Pacaembu. Um corintiano, que trabalha numa das lanchonetes do estádio, terminou a noite no Juizado Especial Criminal. Segundo seguranças do São Paulo, ele teria tentado agredir Rogério no estacionamento. Já o torcedor contou que apenas tentava tirar uma foto com o goleiro, que depois explicou não ter sido agredido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.