Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
randreu via Wikimedia Commons
randreu via Wikimedia Commons

Governador de Nova York avalia retomada de eventos esportivos, mas sem público

No entanto, ainda nenhuma das principais ligas esportivas dos Estados Unidos estabeleceu data para voltar

AFP, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2020 | 22h18

O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, levantou neste domingo a possibilidade de reativar eventos esportivos, mas com portões fechados para impedir a propagação do coronavírus.

"Queremos que o esporte seja reiniciado para que haja atividades que as pessoas possam assistir pela televisão", disse Cuomo em sua entrevista coletiva diária.

"Quais esportes podem ser praticados sem um público? Quais esportes podem ser economicamente viáveis sem a venda de assentos em seus estádios ou salas?", perguntou ele.

Todas as ligas e campeonatos de esportes profissionais e amadores foram interrompidos nos Estados Unidos desde meados de março, com poucas exceções. Uma delas é a WWE, a principal organizadora de jogos de luta livre, licenciada para operar na Flórida.

Mas nenhum dos principais campeonatos esportivos dos Estados Unidos anunciou uma data para seu reinício. O governador pediu aos organizadores dos eventos esportivos que avaliassem a viabilidade de um retorno sem a presença do público. "Todo mundo tem que pensar fora da caixa, porque não existe essa caixa", disse Cuomo.

Pelo menos 40% da receita das principais ligas americanas vem da venda de ingressos, de acordo com Andrew Zimbalist, professor de economia do esporte no Smith College, em Massachusetts. Cuomo também disse no domingo que algumas atividades industriais e da construção poderão ser retomadas no estado a partir de 15 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.