Governador de Tóquio reclama de valor "absurdo" de estádio para Jogos de 2020

O governo metropolitano de Tóquio se queixou da conta “absurda” de 400 milhões de dólares que foi solicitado a arcar para a construção do principal estádio dos Jogos Olímpicos de 2020.

REUTERS

26 de maio de 2015 | 11h08

“Está fora da realidade”, disse o governador de Tóquio, Yoichi Masuzoe, segundo a agência de notícias Kyodo News nesta terça-feira.

Masuzoe disse acreditar que a cidade terá que pagar bem mais que os 50 bilhões de ienes (407,86 milhões de dólares) solicitados, cerca de um terço do custo total para derrubar e reconstruir a arena, estimados pelo ministro dos Esportes, Hakubun Shimomura.

O Japão está procurando maneiras de reduzir a conta de 170 bilhões de ienes para os custos de construção dos Jogos Olímpicos. Shimomura já descartou um teto retrátil, e cerca 35 por cento dos 80 mil assentos do estádio serão temporários, em mais uma forma de reduzir os gastos.

Outras instalações para a Olimpíada, a primeira no Japão desde 1964, também foram afetadas pela redução orçamentária. Dessa forma, Tóquio não irá cumprir seu compromisso de sediar a maioria dos eventos a até 8 quilômetros da Vila Olímpica.

(Por Patrick Johnston, em Cingapura)

Tudo o que sabemos sobre:
OLIMPTOQUIOORCAMENTOABSURDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.