Governo britânico convoca 1.200 militares para Olimpíada

Número de militares em serviço na capital inglesa durante os Jogos será de 18.200

Agência Estado, AE

24 de julho de 2012 | 09h31

LONDRES - Em mais uma medida para tentar garantir a segurança dos Jogos de Londres, o governo britânico decidiu nesta terça-feira convocar mais 1.200 soldados do país para trabalhar durante a Olimpíada. Com isso, o número de militares em serviço na capital inglesa subirá para 18.200, mais do que o dobro do efetivo que está no Afeganistão.

"Na véspera do maior evento já organizado neste país em tempos de paz, os ministros têm claro que não devemos dar chance para o azar", explicou o secretário olímpico Jeremy Hunt. "O governo segue confiando que teremos Jogos seguros", garantiu.

As tropas estavam em alerta há cerca de uma semana, mas, na ocasião, o governo afirmou que se tratava apenas de uma medida de precaução e que os soldados não seriam utilizados.

A crise de segurança nos Jogos começou depois que o grupo de segurança G4S revelou que falhou no recrutamento de pessoal para fazer a segurança em Londres, o que forçou o governo a chamar 3,5 mil policiais e soldados adicionais de distintas forças para preencher as vagas.

De acordo com a imprensa britânica, muitos dos soldados que trabalharão na segurança dos Jogos de Londres tiveram suas férias canceladas. Outro grupo grande acabou de regressar do Afeganistão. O primeiro ministro britânico, David Cameron, quer obrigar a G4S a pagar todos os custos com os militares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.