Governo britânico pediu para aliados apoiarem Coe em eleição da IAAF

O governo do primeiro-ministro David Cameron trabalhou para a eleição de Sebastian Coe como presidente da Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF). Documentos obtidos pela agência de notícias The Associated Press (AP) mostram que o governo ordenou aos seus embaixadores em todo o mundo para exercerem pressão sobre os líderes das federações nacionais de suas áreas de influência para votarem em Coe, a fim de que "os interesses britânicos estejam protegidos".

Estadão Conteúdo

22 Janeiro 2016 | 17h28

De acordo com a AP, o telegrama diplomático foi enviado às embaixadas britânicas de todo o mundo três meses antes da eleição de agosto. Coe, que foi o homem forte à frente dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e tem o título de Sir., venceu o também ex-atleta ucraniano Sergey Bubka por 155 votos a 92.

Em novembro, já depois de eleito, Coe revelou que recebeu 63 mil libras (90 mil dólares) do agência de esportes do Reino Unido para sua candidatura. Além disso, Coe, ex-parlamentar, foi incluído numa lista de "nomeação de altos funcionários", em geral reservada para garantir à Grã-Bretanha posições de destaque em órgãos como a ONU e a OTAN.

Após a eleição de Coe, a IAAF, pressionada pela Agência Mundial Antidoping (Wada), finalmente apertou o cerco contra o doping na Rússia. Com relação à denúncia da AP, a entidade máxima do atletismo se disse lisonjeada pelo interesse do governo britânico em seu processo eleitoral.

Mais conteúdo sobre:
atletismoIAAFSebastian Coe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.