Wenderson Araujo/AFP
Wenderson Araujo/AFP

Governo deve gastar R$ 100 mi com estruturas esportivas do Rio/2016

Presidente Dilma Rousseff recebe em Brasília o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach

NIVALDO SOUZA E RAFAEL MORAES MOURA, O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2015 | 19h45

A presidente Dilma Rousseff recebeu nesta terça-feira o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, em uma reunião no Palácio do Planalto na qual confirmou que o governo federal vai assumir o custo da infraestrutura esportiva adicional, de geração de energia e da estratégia de segurança dos Jogos do Rio/2016.

O encontro durou cerca de duas horas e, após a coletiva de imprensa, o ministro do Esporte, George Hilton, disse que somente a estrutura esportiva dos Jogos Olímpicos deve custar "mais ou menos" R$ 100 milhões ao governo.

"O governo federal estará arcando com todos os aparelhos esportivos, com a de geração de energia", disse. "Estaremos trabalhando também na parte toda de segurança tanto fora (das arenas esportivas) quanto patrimonial (externa)", afirmou.

A segurança foi um dos principais temas da conversa do presidente do COI com Dilma. A presidente se comprometeu a replicar a estrutura de integração das polícias federal, estadual e municipal do Rio de Janeiro, com ações planejadas para evitar incidentes com os espectadores dos jogos, atletas e turistas estrangeiros. A decisão agradou Bach.

"O Brasil vai dar um salto muito importante na prática esportiva, no salto de base, em esporte social e comunitário. Estamos bem animados e prontos para fazer um grande evento que vai orgulhar todos nós", disse Hilton.

PEQUENAS EMPRESAS

O presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, afirmou que um convênio firmado com o Sebrae deverá propiciar uma participação consistente de pequenas empresas na realização da competição de 2016. "Pequenas empresas estão sendo beneficiadas para participar na organização e estrutura dos Jogos Olímpicos", disse.

Já Bach destacou o potencial de negócios para pequenas e médias empresas "com o provimento de serviços". Segundo o dirigente do COI, "os próximos Jogos serão um dos mais inclusivos da história" devido ao número e competições em locais abertos, como a remo na Lagoa Rodrigo de Freitas, triatlo nas praias do Rio e maratona na rua da cidade. Historicamente os eventos de remo, triatlo e maratona acontecem em locais públicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.