Governo federal reduzirá verba do Pan

Enquanto a prefeitura carioca presenteou com R$ 1 milhão o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o governo federal informou que reduzirá sua participação financeira no orçamento dos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007. O prefeito Cesar Maia, durante visita à Marina da Glória e ao Estádio João Havelange, contou que até 2008 a entidade esportiva será beneficiada com uma isenção no pagamento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) por trocar sua sede no Centro pela Barra da Tijuca, na zona oeste, que receberá os principais eventos da competição continental. O presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, explicou que a mudança ocorreu porque, além de precisarem de mais espaço, a entidade e o Comitê Organizador dos Jogos Pan-Americanos de 2007 (CO-RIO) têm que ficar mais próximo do "coração dos Jogos". Pelo aluguel da nova sede, prevista para ser totalmente ocupada até fevereiro de 2006, o COB pagará R$ 110 mil reais mensais, durante cinco anos, e terá à sua disposição um edifício de quatro andares, com quatro mil metros quadrados de área útil para escritórios, além de um estacionamento com capacidade para 200 automóveis. No Centro, o valor do aluguel era de R$ 108 mil, referentes a várias salas distribuídas ao longo de nove andares de um edifício comercial, em um total de dois mil metros quadrados e sem direito a estacionamento. Por causa da mudança, o prefeito do Rio deu de presente ao COB a isenção do IPTU nos exercícios de 2006 e 2007, mas a Lei precisará ser aprovada pela Câmara dos Vereadores, o que não deverá ser um empecilho, já que Maia tem a maioria em plenário. Em 2005, o imposto do local foi de R$ 456.139,00, acrescido de uma taxa de lixo de R$ 562,00. Mas se o prefeito posou de mecenas, o secretário do Ministério dos Esportes para os Jogos Pan-Americanos, Ricardo Leyser, comunicou que o valor da participação do governo federal no orçamento diminuirá e será conhecido durante a realização da Assembléia Geral da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa), que ocorrerá a partir do dia 27, no Rio. A previsão era de que a União colaborasse com cerca de R$ 300 milhões, além dos R$ 260 milhões reservados ao Plano de Segurança. "Não iremos prejudicar os Jogos. O que fizemos foi cortar recursos em alguns itens e aumentar em outros. Mas, no global haverá uma pequena redução", disse o secretário do Ministério do Esporte. Copa do Mundo - O prefeito do Rio aproveitou a visita desta quarta-feira para informar uma mudança no Estádio João Havelange, com o objetivo de deixar o local apto a receber os jogos da Copa do Mundo de 2014, cotada para ser realizada no Brasil. "Consultei a Fifa, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e deixaremos o estádio pronto para ser ampliado para 80 mil lugares e não mais 60 mil como seria", disse Maia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.