Governo financiará custos do Pan

O Rio de Janeiro já espera arrecadar US$ 25 milhões a mais do que orçamento previsto de US$ 177.983.430,00 para a realização dos Jogos Pan-Americanos de 2007. A grande parte dos recursos sairá dos cofres públicos, envolvendo os governos municipal, estadual e federal. Para conseguir o valor estimado pelo orçamento, os governos concordaram em dividir a maior parte das despesas. O presidente Fernando Henrique Cardoso vai liberar US$ 43.478.433,00 (24,43% do custo total dos Jogos) e o governo Estadual, US$ 9.845.060,00 (5,53%). Ao município caberia o valor de US$ 75.279.937,00 (42,30%) mas o prefeito Cesar Maia já criou um fundo garantindo US$ 100 milhões, o que gerou o excedente. O restante das despesas será custeado pelos patrocinadores (US$ 30 milhões), dos lucros com a comercialização dos direitos de TV (US$ 5 milhões), venda de ingressos (US$ 5,9 milhões), licenciamentos (US$ 2 milhões), além de concessões para a venda de produtos em locais das competições (US$ 1,5 milhão). Outros US$ 5 milhões estão previstos para ser arrecadados com via Loteria Esportiva, com a criação de sorteios alusivos ao Pan-Americano. Em contrapartida, Cesar Maia está certo de que o retorno para os brasileiros será bem maior do que o investido pelo poder público. O Turismo será uma das principais fontes de renda. Outro modo de recuperar o dinheiro envolvido nos Jogos será a comercialização da Vila Pan-Americana, avaliada em US$ 30 milhões. O Comitê responsável pela organização do Pan-Americano também prevê outros recursos oriundos de investimentos paralelos, como o setor de infra-estrutura, hotelaria e transportes. O valor, no entanto, ainda não foi estimado.

Agencia Estado,

26 Agosto 2002 | 19h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.