Governo mineiro lança projeto olímpico

Com o objetivo de garantir acesso dos alunos da rede estadual de ensino à prática esportiva orientada, o governo mineiro lançou nesta terça-feira o programa "Minas Olímpica". A idéia é que professores da rede pública selecionem estudantes que receberão treinamento especial e no futuro poderão se tornar atletas de ponta."Estamos atacando o esporte escolar e vamos trabalhar com um universo de cerca de 350 mil crianças", destacou o subsecretário de Estado de Esportes, o ex-nadador Rogério Romero. Anunciado como inédito no País, o programa conta com parcerias da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), da Organização de Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) e das prefeituras municipais. Os estudantes selecionados serão encaminhados às chamadas "oficinas de atletas", que serãoinstaladas no Sesi de cada um dos municípios participantes e outros centros esportivos. Para a solenidade de lançamento do programa foram convidados vários atletas e ex-atletas brasileiros de destaque, entre eles o iatista e atual secretário de Esportes e Juventude de São Paulo, Lars Grael. O governador de Minas, Aécio Neves, disse que serão investidos inicialmente R$ 6 milhões na implementação do programa. Cinco escolas do Estado foram selecionadas para o início das atividades, em janeiro de 2006. A administração estadual garante que, até o final do ano que vem, o programa estará implantado em um total de 40 municípios,com cerca de seis mil crianças e jovens participando das oficinas. Os professores receberão capacitação especial e as escolas terão kits esportivos completos para todas modalidades. "O esporte derendimento é exclusivista e elitista, para poucos. E nesse projeto você consegue ter todos os pontos entrelaçados para fazer um trabalho legal", afirmou a ex-jogadora de basquete, Paula."Eles conhecem o esporte como uma simples pelada nas ruas e agora vão praticar com profissionais capacitados, com piscinas, quadras e equipamentos que serão distribuídos", disse o ex-nadador Gustavo Borges.Além dos 344 mil alunos de escolas públicas, o projeto prevê atender especificamente 74 atletas portadores de necessidades especiais.

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2005 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.