Governo não apoia candidatura de Roma

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, manteve sua coerência e retirou o apoio do governo da candidatura de Roma para sediar os Jogos Olímpicos de 2020. O motivo: a crise que atravessa o país e a necessidade de economizar recursos. Pagar por uma campanha milionária e internacional, portanto, não era prioridade num país com uma dívida que chega a quase duas vezes o tamanho de sua economia. Roma sonhava em organizar o evento depois do Rio. Seria a primeira vez que os Jogos iriam para a capital italiana em 60 anos. Outros candidatos são Istambul, Tóquio, Baku e Doha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.