Sérgio Dutti/AE
Sérgio Dutti/AE

Governo pensa em fazer PAC da Copa e da Olimpíada

Dilma Rousseff diz que obras previstas para os dois eventos devem se concentrar em programas distintos

Renato Andrade, Agencia Estado

08 de outubro de 2009 | 17h41

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta quinta-feira que o governo estuda a possibilidade concentrar as obras previstas para a realização da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016 em programas distintos: um PAC da Copa e um PAC da Olimpíada. Isso, segundo ela, garantiria maior celeridade na execução dos projetos.

Veja também:

linkRio lança site para fiscalizar preparação

especialRIO 2016 - Mais sobre preparação para os Jogos

especialESPECIAL - Tudo sobre as cidades candidatas

"Há uma série de obras que têm que ser previstas e executadas, até porque, o grau de importância da Olimpíada, como todos nós sabemos, é um significado histórico", afirmou a ministra, ao comentar sobre a possibilidade da criação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) exclusivo para os dois grandes eventos esportivos que o Brasil sediará.

Um dos objetivos do governo é priorizar os investimentos em transporte. "Tanto para a Copa quanto para a Olimpíada, a questão estratégica é a da chegada", disse a ministra. Diante disso, um dos principais projetos é o do aeroporto internacional do Rio, que, segundo Dilma, será a porta de entrada dos estrangeiros no Brasil para a Copa e a Olimpíada.

Dilma explicou que o futuro trem-bala que ligará Campinas, São Paulo e Rio permitirá que os aeroportos paulistas também possam ser utilizados como porta de entrada para a Olimpíada de 2016. Pela programação do PAC, o projeto será levado a leilão no primeiro trimestre do ano que vem, envolvendo investimentos de cerca de R$ 35 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.