Governo tenta aprovar a Lei de Incentivo ao Esporte

O Governo tenta aprovar ainda nesta terça-feira a Lei de Incentivo ao Esporte, que prevê benefícios fiscais a quem incentivar financeiramente o esporte brasileiro e é comparada à Lei Rouanet, de incentivo à cultura. Para ajudar na aprovação Na Câmara dos Deputados, um grupo de atletas, ex-atletas e dirigentes foi para Brasília e teve reunião com o ministro do Esporte, Orlando Silva Jr.A nova lei, se aprovada, possibilitará que pessoas físicas ou jurídicas apóiem projetos esportivos e paradesportivos por meio de doações e patrocínios. Os investimentos poderão ser abatidos no Imposto de Renda no limite de até 4% para empresas e 6% no caso do cidadão que queira apoiar o esporte.?É preciso tirar do governo o peso do investimento em esporte e passar também para a iniciativa privada?, afirmou o ex-jogador de vôlei, Bernard Rajzman. Além dele, outros nomes de destaque do esporte estiveram no encontro em Brasília, como Tande e Maurício (ambos do vôlei) e Coaracy Nunes (presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos).Depois da reunião com o ministro Orlando Silva, nesta terça-feira, o grupo seguiu para o Congresso Nacional, onde espera acompanhar a aprovação da nova lei.?O Congresso também vai dar a sua contribuição para o esporte?, disse o ministro Orlando Silva, ressaltando a importância de a lei entrar em vigor ainda este ano para que os benefícios possam ser usufruídos no ano que vem.Se aprovada na Câmara dos Deputados, a Lei de Incentivo ao Esporte ainda precisa passar pelo Senado antes da sanção do presidente Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.