GP abre semana de vela amanhã

Muitos dos velejadores que participam da 29ª Semana de Vela de Ilhabela, que recomeça nesta quarta-feira, participam da competição desde a primeira edição. O primeiro vencedor do tradicional campeonato foi Eduardo Sousa Ramos, em 1973, na Classe Snipe. Na regata de abertura deste ano, a Eldorado-Alcatrazes, o barco "Pajero", do qual é comandante, ficou em segundo lugar - atrás do "Wiki Wiki". "Comecei a velejar aos dez anos com meu pai. Aos 18 larguei a vela para correr de kart. Quando tinha 26 ano senti saudades e voltei para o mar", conta o comandante do Pajero, que nas horas vagas corre com os amigos em Interlagos de Alfa Romeu. "Em 1987 reduzi meu tempo de velejar por causa do trabalho. Este ano, a Eldorado-Alcatrazes foi apenas minha segunda regata", lamenta. O primeiro contato com a modalidade foi na represa Bilings: "Aprendi a velejar lá em um clube que meu pai fundou, era o Yacht Club Bandeirantes. Depois de um tempo, a represa ficou poluída e fui treinar no Yacht Club de Santo Amaro, na represa de Guarapiranga." "A vela requer disciplina, e organização". Com a Vela, o empresário da Mitsubishi Motors do Brasil, que patrocina a Semana de Ilhabela, aprendeu a ganhar disciplina. "Esse é um esporte fantástico, que requer disciplina, organização e entrosamento. Mas ao mesmo tempo que requer tanto de uma pessoa, é um esporte que te dá a sensação de liberdade e é plasticamente muito bonito", afirma. Sobre o recorde da competição, que contou com 174 barcos e mais de 1.200 tripulantes, Eduardo admite que fez sua parte: "Sinto-me parte do crescimento da Semana de Vela, valeu a pena passar tantos anos trabalhando nisso e me divertindo. Como patrocinador do evento, sinto-me feliz, satisfeito com os números de cada ano, que apenas estão crescendo." Os esportes estão sempre presentes na rotina de Eduardo. Quando tem tempo livre e não está no Yacht Club de Ilhabela, está no autódromo de Interlagos. "Eu e meus amigos com mais de 50 anos nos reunimos para uma corridas curtas de Alfa Romeu. A categoria se chama Classic. Os planos são correr de Porshe daqui um tempo. O automobilismo tem muita coisa diferente da vela, é muito mais perigoso", conta. Copa do Rei - Quando a competição em Ilhabela terminar, Eduardo e a tripulação do Pajero viajam para a Espanha para participarem da Copa do Rei, em Barcelona. "Lá haverá 150 barcos. Na Europa as embarcações são muito mais novas e sofisticadas, se compararmos com o Brasil. De qualquer forma, estou muito satisfeito por uma única regata de vela oceânica no Brasil ter alcançado a marca de mais de 170 barcos", conclui. Amanhã será realizado o Grand Prix, que não conta pontos para a Semana de Vela. Quarta-feira a competição será retomada e segue até sábado, com duas regatas programadas por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.