Grã-Bretanha mobiliza mais 1.200 soldados para segurança

A Grã-Bretanha irá mobilizar os 1.200 soldados deixados de prontidão na semana passada para ajudar a proteger a Olimpíada de Londres, disse um ministro nesta terça-feira, enquanto se afinam medidas de segurança para compensar o número insuficiente de homens de uma empresa de segurança contratada para a ocasião.

ESTELLE SHIRBON E NEIL MAIDMENT, Reuters

24 de julho de 2012 | 09h55

O secretário de Estado e Esporte, Jeremy Hunt, informou que um comitê presisido pelo primeiro-ministro David Cameron tomou a decisão de destacar as tropas, que se juntarão aos cerca de 3.500 colegas uniformizados já a cargo dos locais de competição.

"Na véspera do maior evento já realizado neste país em tempos de paz, os ministros deixam claro que nada deve ser deixado ao acaso", declarou Hunt em um comunicado.

Os soldados foram levados para proteger a Olimpíada depois que a empresa privada G4S alertou, duas semanas atrás, que não forneceria tantos seguranças quanto esperado, causando furor e constrangendo as autoridades.

Pouco depois da declaração de Hunt, a G4S disse ter cerca de 5.800 seguranças nos locais de competição e que se esforça para manter o compromisso, assumido na semana passada com os organizadores dos Jogos, de chegar a 7.000 homens.

"Um número significativo de candidatos está chegando à fase final do treinamento e do credenciamento a cada dia, e estamos trabalhando duro para cumprir o acordo que fizemos com a LOCOG (organizadora do evento) na semana passada", disse a empresa.

Hunt disse que o número de equipes nos locais de competição é constantemente revisado.

"Os números da G4S estão aumentando significativamente e esperamos sinceramente que continue assim", disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
OLIMPSEGURANCAREFORCO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.