Gramado ruim faz a 1.ª vítima

Deyvid Sacconi, do Palmeiras, torce o joelho e fica seis meses parado

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

25 de janeiro de 2008 | 00h00

A bola não rola, quica. A grama verde é, muitas vezes, apenas aparência - areia e terra é que dão o tom. Esta é, infelizmente, a situação de muitos campos paulistas. Que em apenas três rodadas de Estadual já fez uma vítima: o meia Deyvid Sacconi, do Palmeiras, prendeu o pé no gramado do estádio Bento de Abreu, anteontem, em Marília, torceu o joelho direito e rompeu o ligamento. Vai passar por cirurgia na semana que vem e ficará parado por seis meses.Algumas pessoas podem até falar em acaso, que Deyvid teve azar ao sofrer a lesão. Pode até ser. Mas a verdade é que desde a primeira rodada da competição jogadores e técnicos têm reclamado da falta de condições de alguns estádios. Campos esburacados, grama alta, iluminação precária. Os atletas viram presas fáceis em tais situações.Os palmeirenses saíram enfurecidos do jogo de quarta-feira, em Marília. Diego Cavalieri, Martinez, Gustavo... Todos reclamaram do estado do gramado. No mesmo dia, o São Paulo enfrentava o Ituano e a grama (ou a falta dela) do estádio Dr. Novelli Jr. "Foi o pior gramado que já joguei", contou Jorge Wagner. "E se tivesse um carro de som lá fora, iria parecer uma boate (por causa da fraca iluminação)." Irritado, Muricy Ramalho exigiu medidas da FPF. "A Federação não tem de olhar só para as arquibancadas, mas também para os gramados."O coronel Marinho, diretor do Departamento de Segurança e Prevenção de Violência da FPF, assegurou que vai fazer uma vistoria no estádio de Itu. "Anualmente os clubes nos passam um relatório com as condições do estádio", falou. "Mas quando surgem novos fatos, nós vamos checar." O coronel admite que o Novelli Jr. pode ser interditado caso o gramado não ofereça condições de jogo.O Ituano, por meio de sua assessoria, concordou que o gramado e a iluminação estão em um nível abaixo do esperado. Mas avisou que as melhorias dificilmente vão ocorrer durante o Estadual. "No fim do ano passado fizemos um nivelamento e o replantio da grama. Mas o campeonato começou logo e não teve tempo suficiente (para a grama ter boas condições). E temos o projeto de fazer mais duas torres grandes (de iluminação)."Assim, é bom então o Corinthians se preparar - irá para Itu no dia 10, pela 8ª rodada. E na rodada seguinte, o São Paulo pega o Marília, no campo em que Deyvid Sacconi se machucou. O próximo jogo do Palmeiras no interior será no sábado de carnaval, dia 2, contra o Noroeste. Jornalistas de Bauru, porém, já avisaram que o time alviverde não vai encontrar nenhum problema - o gramado pode não estar nas melhores condições, mas pelo menos não está esburacado e a bola rola bem.Além de São Paulo e Palmeiras, a Portuguesa entrou no coro dos reclamações. Logo na segunda rodada, o time de Vagner Benazzi passou pelas mesmas dificuldades que a equipe do Morumbi anteontem: o campo de Itu. E o treinador não poupou críticas. Na quarta-feira, as reclamações da Lusa continuaram, mas em um outro estádio: o de Jundiaí. O clube espera agora que o Canindé seja liberado logo pela FPF (faltam alguns laudos técnicos). AGORA, NÃOO Palmeiras não deve contar com os reforços Jorge Preá, Diego Souza e Lenny no jogo de amanhã, contra o Mirassol, em Barueri (o gramado do Palestra segue em reforma) - eles ainda não estão regularizados. COLABOROU GIULIANO VILLA NOVA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.