Grandes craques também trocaram a Vila pelo Morumbi

Pagão, Toninho Guerreiro e Pita fizeram o mesmo trajeto de Ganso. Mauro e Serginho Chulapa foram no caminho inverso

WILSON BALDINI JR., O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2012 | 03h07

A transferência de Ganso do Santos para o São Paulo é um caminho que já foi percorrido por muitos outros craques. E se depender da retrospectiva as chances são boas para o ex-companheiro de Neymar dar certo com a camisa tricolor.

Primeiro grande parceiro de Pelé, Pagão trocou o time de Vila Belmiro pelo Morumbi em 1962.

Outro grande companheiro do Rei do Futebol foi Toninho Guerreiro, entre os anos de 1962 e 1969. Após ser tricampeão paulista (1967/68/69), o raçudo camisa 9 mudou-se para o São Paulo, onde somou mais dois títulos estaduais consecutivos (1970/71).

Em 1984, foi a vez do habilidoso canhoto Pita deixar a Vila e ir para o Morumbi. Integrante do time campeão paulista de 1978, que ficou conhecido como a primeira geração dos Meninos da Vila, Pita fez parte também dos "Menudos", ao lado de Müller, Careca e Sidney, que ficou com o título paulista de 1985, com o brasileiro do ano seguinte e com novo título estadual em 1987.

O mesmo caminho, mas em direção contrária também proporcionou um avanço na carreira de jogadores históricos.

Em 1960, Mauro Ramos de Oliveira, um dos zagueiros mais técnicos da história do futebol brasileiro, saiu do São Paulo, após 12 anos e quatro títulos paulistas, para o Santos, onde fez parte do maior time de todos os tempos, ao lado de Pelé. Conquistou mais cinco campeonatos estaduais, somou outros cinco títulos da Taça Brasil, além do bicampeonato da Libertadores e do Mundial de Clubes. Foi o capitão da seleção brasileira no bicampeonato obtido no Chile. Mauro jogou até 1966 no alvinegro praiano.

Maior artilheiro da história do São Paulo, com 248 gols marcados de 1974 a 1982, Serginho Chulapa vestiu a camisa santista em 83/84, 86, 88 e 90. O atacante tornou-se o maior artilheiro da Vila Belmiro na era pós-Pelé, com 104 gols, juntamente com o ponta-esquerda João Paulo. Serginho só foi superado por Neymar em maio deste ano. Resta a Ganso manter a tradição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.