Grécia anseia por deixar preocupações de lado na Olimpíada

Com poucos fundos, envolvida em uma polêmica olímpica e tendo como pano de fundo uma crise econômica, a Grécia encabeçou o desfile dos atletas na cerimônia de abertura dos Jogos de Londres nesta sexta-feira, tendo prometido deixar seus problemas de lado.

Reuters

27 de julho de 2012 | 19h40

Os gregos, que tradicionalmente são os primeiros a entrar no estádio em homenagem à antiga Olimpíada e como anfitriões dos primeiros Jogos modernos em 1896, sofreram a expulsão de dois atletas de elite, um por doping e outra por um tuíte racista na véspera das competições.

A delegação, agora com 103 membros e liderada por Alexandros Nikolaidis, esperança do taekwondo, recebeu um grande aplauso da plateia de 60 mil pessoas.

A Grécia, que sediou a Olimpíada de Atenas em 2004, rendeu manchetes nos últimos Jogos pelos motivos impróprios - dezenas de seus atletas foram flagrados usando doping.

Na quinta-feira, o campeão mundial de salto Dimitris Chondrokoukis foi eliminado por ter usado drogas que melhoram o desempenho, um golpe nas esperanças de medalha gregas.

Um dia antes, Paraskevi Papachristou, praticante do salto triplo, foi eliminada da delegação por um comentário contra africanos no Twitter.

(Por Neil Maidment e Karolos Grohmann)

Tudo o que sabemos sobre:
OLIMPGRECIAPROBLEMAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.