Grego culpa os desertores pelo fracasso

Para o presidente da CBB, desfalques prejudicaram o desempenho do basquete no Pré-Olímpico de Atenas

Entrevista com

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

19 de julho de 2008 | 00h00

Um dia após a eliminação do Brasil no Torneio Pré-Olímpico em Atenas, o presidente da Confederação Brasileira de Basquete (CBB), Gerasime ?Grego? Bozikis, pediu mais união aos jogadores e o fim dos pedidos de dispensa. Embora tenha dito estar "orgulhoso" da seleção, o dirigente admitiu que o Brasil enfrentou desfalcado equipes mais completas e de alto nível.O pivô alemão Dirk Nowitzki, por exemplo, fez questão de pagar ao Dallas Mavericks, seu time na NBA, o seguro no valor de US$ 200 mil para poder defender a seleção de seu país, que anteontem bateu o Brasil por 78 a 65. A equipe brasileira não contou com Nenê, Varejão, Leandrinho, Valtinho, Paulão e Guilherme Giovannoni."É importante que todo mundo atenda às convocações e venha para a seleção", afirmou Bozikis. "Eu não tenho dúvida de que todos sabem da importância de defender o Brasil. Não há nenhum jogador que tenha saído de clube para ganhar dinheiro na Europa ou nos EUA. Todos só ganharam projeção por causa da seleção", declarou.Bozikis também deixou claro que são boas as chances de Moncho Monsalve continuar na seleção. O espanhol declarou ter vontade de liderar o Brasil nos próximos dois anos. "Todo mundo gostou do trabalho dele, principalmente os jogadores. Outras seleções têm técnicos com vários anos de trabalho; é importante dar seqüência." O cartola não vê problema em Moncho só trabalhar até metade do próximo ciclo olímpico. Grego adiantou que vê José Neto, auxiliar de Moncho, como o futuro comandante da seleção. "Ele tem grande potencial e está sendo preparado para isso." Com Bozikis na CBB (desde 1997), o Brasil não foi a nenhuma Olimpíada e amargou a pior posição da história num Mundial (17º, em 2006). Mesmo assim, ele tentará a reeleição em maio do ano que vem. "O feminino tem ido bem, com boas participações nos Mundiais, e ninguém fala nada. Acho que ainda há muito a ser feito e eu quero levar isso adiante", afirmou.GRÉCIA E CROÁCIA NOS JOGOS Grécia e Croácia garantiram ontem a classificação para a Olimpíada. A equipe da casa derrotou Porto Rico por 88 a 63. Na outra semifinal, a Croácia venceu a Alemanha por 76 a 70. Hoje, às 13h30 (de Brasília), Alemanha e Porto Rico decidem quem ficará com a última vaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.