Gregos pedem desculpas aos brasileiros

Enquanto os componentes do Comitê Organizador dos Jogos de Atenas (Athoc) dão pouca atenção ao ataque sofrido por Vanderlei Cordeiro de Lima, o povo grego, sim, trata de fazer o papel diplomático com os brasileiros. Desde o fim da prova da maratona, na noite de domingo, inúmeras pessoas vêm pedindos desculpas aos turistas, atletas e jornalistas brasileiros em Atenas, de forma bastante simpática.Uma equipe da TV Bandeirantes, por exemplo, não precisou pagar uma corrida de táxi. O brinde foi dado pelo motorista como consolo pela perda do ouro na maratona. "Para nós, a maratona foi vencida pelo Brasil", disse uma voluntária dos Jogos ao cruzar com um grupo de brasileiros.Os jornais e as emissoras de televisão da Grécia seguem dando grande destaque ao evento, que seguramente ficará marcado para toda a história dos Jogos Olímpicos. A entrevista de Vanderlei na Casa Brasil, nesta segunda-feira, não atraiu apenas repórteres do País sul-americano, mas também profissionais da imprensa internacional. "Recebemos, na Vila Olímpica, o apoio de 12 chefes de missão", relatou Marcus Vinícius Freire, chefe da missão brasileira.O atleta paranaense, depois da conquista do bronze, da premiação, do assédio da imprensa e do exame antidoping, só chegou à Vila na madrugada desta segunda-feira. Não teve tempo de comemorar nem de conversar com a família. E dormiu pouco. Acordou relativamente cedo para atender à imprensa, contou a façanha para os parentes, por telefone, e, à tarde, foi à região central de Atenas para fazer compras. "Preciso levar umas lembrancinhas." Ainda recebeu o apoio e os parabéns de esportistas de todo o mundo.Herói - Vanderlei embarca nesta terça-feira rumo ao Brasil, onde deverá chegar na manhã de quarta-feira. No fim do ano, durante o Prêmio Brasil Olímpico, troféu dado aos melhores da temporada, o maratonista receberá, do COB, o título de herói olímpico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.