Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Grêmio e Coritiba com força máxima

Mesmo que ainda tenha chances de brigar pela ponta no Campeonato Brasileiro, o Grêmio não vai poupar os titulares na partida de hoje, diante do Coritiba, no Estádio Couto Pereira, pela Copa Sul-Americana.

O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2012 | 03h06

"Nenhum titular será poupado, mas vamos escalar aqueles que estiverem em melhores condições", disse Vanderlei Luxemburgo, com um discurso que prevê mudanças.

O caminho para a inédita classificação gremista para a segunda fase do torneio em cinco participações foi aberto pela vitória por 1 a 0 no primeiro jogo, em Porto Alegre. Com isso, os gaúchos podem perder até por um gol de diferença, desde que marquem um gol. Precavidos, os gremistas ensaiaram cobranças de pênaltis durante os treinamentos de ontem.

Apesar de programar a utilização de força máxima, o Grêmio realizou treinos mais leves durante a semana pensando não só na decisão da vaga contra os paranaenses, mas também no clássico de domingo, contra o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro. "Estamos suportando bem a sequência difícil de jogos. O cansaço é normal, mas todos estarão inteiros para o jogo", disse o volante Gilberto Silva.

O Coritiba pretende atacar a fim de reverter a vantagem do rival. "Precisamos atacar já que estamos em desvantagem, mas será uma partida dura. O Grêmio valoriza muito o torneio", disse o técnico Marcelo Oliveira.

A equipe paranaense pretende manter o esquema tático da goleada sobre o Cruzeiro por 4 a 0 pelo Campeonato Brasileiro, mas pequenas alterações. O zagueiro Pereira, que estava suspenso, volta à equipe no lugar de Luccas Claro; Roberto e Anderson Aquino devem formar o ataque. "Gostei da formação e ela será mantida. Conseguimos defender e atacar em bloco, com consistência", avaliou Marcelo Oliveira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.