Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio faz 3 a 0 no Inter, quebra jejum em casa e fica perto da semi do Gaúcho

Time de Renato Gaúcho não derrotava rivais como mandante pelo Estadual desde 2001, com cinco derrotas e seis empates

Estadão Conteúdo

18 de março de 2018 | 18h31

O Grêmio largou na frente nas quartas de final do Campeonato Gaúcho no duelo diante do Internacional, o seu maior rival. Nesta tarde na arena gremista, o time tricolor venceu por 3 a 0 e quebrou um longo jejum que já durava desde 2001. Desde então não vencia a equipe colorado na condição de mandante pelo Estadual, com cinco derrotas e seis empates. Este foi o Gre-Nal de número 414, agora com 155 vitórias gremistas, 129 coloradas e 130 empates. Uma festa para a maioria dos 44.777 presentes.

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Gaúcho

+ Leia mais notícias sobre o Grêmio

+ Leia mais notícias sobre o Internacional

A vitória deixou o Grêmio mais perto das semifinais, podendo perder por dois gols no jogo volta marcado para a próxima quarta-feira, às 21h45, no Beiro-Rio. Ou até mesmo perder por dois gols de diferença, desde que faça um gol. Por exemplo: 3 a 1 ou 4 a 2. Acontece que o gol fora tem peso no critério de desempate.

Renato Gaúcho optou pelo experiente Léo Moura na lateral direita do Grêmio e deu moral para Jael no ataque, deixando Ernane no banco e esperando a apresentação de André, ex-Sport, neste início de semana.

Antes do clássico, o técnico Odair Hellmann confessou que assistiu o último jogo contra o rival - que perdeu por 2 a 1 - quatro vezes durante a semana, na tentativa de melhorar a produção do Internacional. Improvisou o volante Edenílson na lateral direita e apostou na dupla ofensiva formada por Marcinho e Nico López. Esta foi a solução encontrada por causa das ausências de William Pottker e Leandro Damião, ambos machucados.

O jogo aéreo do Internacional logo se mostrou forte. Aos dois minutos, após falta em diagonal cobrada por D'Alessandro, o volante Rodrigo Dourado subiu entre os zagueiros e cabeceou para baixo. Mas o goleiro Marcelo Grohe fez grande defesa, espalmando para a frente.

Outra excelente oportunidade aconteceu aos 21 minutos, agora pelo lado direito. Após o cruzamento de Edenilson quem apareceu no alto foi Patrick. Ele cabeceou no ângulo e Grohe espalmou para escanteio. Teve seu apelido gritado pela torcida: "Milagrohe".

O Grêmio não soube como escapar do bom sistema de marcação do rival, armado no 4-5-1. Só arriscou dois chutes de longa distância, mas que passaram longe das mãos de Marcelo Lomba. Mas quando tudo parecia perdido, conseguiu o gol. Após troca de passes entre Luan e Ramiro a bola saiu da direita e caiu do outro lado para o complemento de Everton na pequena área. Lomba ainda tocou na bola com os pés, porém, ela morreu nas redes. Isso aos 48 minutos.

Para o segundo tempo a expectativa era pela pressão do Internacional, que precisaria buscar a reação. Mas não foi isso que aconteceu. O Grêmio dominou o setor de meio campo e passou a forçar o jogo pelas beiradas. Aos 11 minutos quase ampliou numa cabeçada de Geromel, após escanteio, que Lomba espalmou por cima do travessão.

O domínio gremista era prenúncio de que faria o segundo gol. Tanto que não demorou. Aos 17 minutos, Jael cobrou falta perto da linha da grande área, encobrindo a barreira. A bola foi no alto e Marcelo Lomba demorou para ir nela. Quando chegou, a bola já estava nas redes.

O Internacional ainda tentou reagir, mas ao atacar dava espaços para os contra-ataques gremistas. Num destes lances, aos 31 minutos Arthur saiu em disparada e chutou rasteiro, a bola ainda tocou no corpo de Lomba e entrou. Ele voltou a ser escalado depois de mais de três meses afastado por lesão.

A chance de diminuir o placar surgiu aos 37 minutos, quando Dourado apareceu na pequena área livre após o desvio de cabeça de Roger. Mas Grohe saiu cobrindo à ângulo, a bola tocou no seu peito e saiu para escanteio. Não houve mais anda importante dentro de campo, só a festa tricolor nas arquibancadas. O jogo terminou ao som de olé da torcida.

HOMENAGEM

Os jogadores colorados atuaram com uma tarja preta no braço em homenagem ao torcedor símbolo Xuxu, que morreu no meio de semana. O time lembrou também ao ex-ídolo Fernandão, que neste domingo completaria 40 anos, não fosse um acidente de helicóptero que lhe tirou a vida em 2014. Ele é o autor do gol de número 1000 do Gre-Nal.

A pedido do Ministério Público, foram vetadas as presenças das torcidas organizadas e proibida a entrada de instrumentos musicais. Tudo por conta de brigas que aconteceram, domingo passado, fora do Beira-Rio. No público de mais de 40 mil torcedores, um setor foi misto, reunindo 1500 gremistas e 1500 colorados convivendo de forma pacífica. Uma vitória do espírito esportivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.