Guará sobe preço de ingresso para evitar pressão da torcida

Time está de mudança para Americana e vem sofrendo com a revolta do torcedor de Guaratinguetá, que vai ficar sem time

Anelso Paixão, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2010 | 00h00

De mudança para Americana, o Guaratinguetá tomou decisão inusitada, já posta em prática ontem no empate (1 a 1) com o Icasa, no Estádio Dario Rodrigues Leite.

Preocupada com a pressão da torcida, que xingou jogadores, comissão técnica e diretoria na partida do dia 12 de outubro, pela 28.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, contra o Paraná (derrota por 2 a 0), a diretoria do clube decidiu subir o preço do ingresso de arquibancada de R$ 20 para R$ 50.

"Se eles (os torcedores) querem xingar, ofender, vão pagar para isso", justificou o coordenador de futebol Ricardo Navajas, ex-técnico de vôlei.

Ainda de acordo com Navajas, o aumento no valor dos bilhetes respeitou as normas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que determina o preço mínimo e máximo. "Para os sócios-torcedores, cerca de 400, não muda nada. A medida só atinge aqueles que vão só para xingar quem não tem culpa", afirmou.

A mudança de Guaratinguetá para Americana já está praticamente selada, faltando apenas ser homologada pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Segundo Navajas, as vantagens da nova casa serão sentidas, especialmente, na questão estrutural. "Hoje, gastamos cerca de R$ 90 mil mensais com aluguel de estádio (R$ 8 mil), ambulância por jogo, moradia e alimentação para atletas, transporte, luz, água e outras taxas. Em Americana, já temos quatro empresas que vão nos ajudar, sem contar que não vamos pagar aluguel do estádio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.