Guga recorda: ''Minha experiência lá foi repleta''

Tricampeão do torneio e adorado pelos franceses, brasileiro aposta em vitória de Nadal

, O Estadao de S.Paulo

24 de maio de 2009 | 00h00

O momento mais emocionante da última edição do Grand Slam francês não foi a entrega do troféu de campeão, pela quarta vez seguida, a Rafael Nadal. Os fãs de tênis, especialmente do Brasil, nunca vão esquecer daquele 25 de maio. Depois de uma partida de três sets (3/6, 4/6 e 2/6) contra Paul-Henri Mathieu, Gustavo Kuerten, o maior jogador brasileiro, se despediu do esporte na quadra central de Roland Garros. "Fico feliz em ter estado lá durante tantos anos, e vejo que todas as minhas participações foram inesquecíveis. Eu sinto que vivi tudo que era preciso dentro de Roland Garros. Minha experiência lá foi repleta", disse Guga ao Estado.A história do carismático tenista com o Aberto da França começou em 1996, quando Guga perdeu na primeira rodada. Mas foi no ano seguinte que o primeiro capítulo do "casamento" foi escrito, com o inesquecível título daquele desconhecido brasileiro. Em duas semanas de torneio, ele conquistou toda a torcida francesa partida a partida, game a game, até bater o espanhol Sergi Bruguera na final. Guga ainda venceu na França em 2000 e 2001. Em 2004, já sofrendo com as lesões, fez uma partida memorável diante do então número 1, Roger Federer. Bateu o suíço e foi aplaudido de pé pelo surpreso público.No dia 7, quando termina Roland Garros - "se o Nadal não ganhar aí sim que teremos uma surpresa -, começa, em Florianópolis, a Semana Guga Kuerten, um evento idealizado pelo ídolo para incentivar o tênis brasileiro. Para finalizar, jogará de novo um confronto com Bruguera, dia 13. "É muito bom estar em quadra, me lembra muito as situações que já vivi em Roland Garros"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.