Guga revela que ainda não perdeu a motivação

De volta ao Brasil, depois de ficar cerca de 2 meses fazendo tratamento médico nos Estados Unidos, Gustavo Kuerten garantiu nesta segunda-feira que está muito motivado para continuar com sua carreira no tênis, apesar dos seguidos problemas físicos e do futuro incerto. Em entrevista nesta segunda-feira, no Rio, Guga confirmou que vai trabalhar com o fisioterapeuta Nilton Petrone, conhecido como Filé, que ficou famoso por ajudar na recuperação do atacante Ronaldo."Muitos dizem que eu deveria parar de jogar. Mas isso não me incomoda, só me dá mais motivação", avisou Guga. Ele, inclusive, deu até uma previsão para seu retorno aos torneios: em julho, provavelmente em Stuttgart, na Alemanha. Com isso, admite oficialmente que não vai disputar Roland Garros, que começa no dia 28 de maio - será sua primeira ausência desde 1996.Segundo Filé, o caso de Guga é realmente "difícil", mas ele acredita que o tenista possa voltar ao seu melhor nível físico - o tricampeão de Roland Garros já passou por duas cirurgias no quadril."De todos os casos em que trabalhei, o do Guga é o mais difícil. Mas ele é o que tem a maior probabilidade de voltar a ser o que era. Tenho certeza de que ele voltará a jogar um tênis de qualidade", disse Filé.?Ao longo desse tempo que atuou com as dores, o Guga desenvolveu uma série de compensações para a falta de mobilidade. E isso criou vários vícios que afetam o ombro, os braços, as pernas. O que vou fazer é colocá-lo no prumo e deixá-lo no nível?, contou o fisioterapeuta.O trabalho de Filé começa já nesta semana, quando Guga ficará no Rio para uma série de exames. Depois, o tenista deve alternar períodos em Florianópolis, onde mora, e Buenos Aires, terra do seu treinador, o argentino Hernan Gumy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.