Guilheiro completa equipe olímpica de judô

O judoca Leandro Guilheiro, de 20 anos, pupilo de Rogério Sampaio (medalha de ouro na Olimpíada de Barcelona, em 1992) completa a equipe masculina que irá aos Jogos de Atenas, em agosto. Nesta sexta-feira, na seletiva do peso leve, o único que ainda não estava definido, Guilheiro, atleta do São Paulo, que treina na Academia de Sampaio em Santos, desde os 11 anos, derrotou Luiz Camilo por 2 a 0. ?Vão ser os Jogos da minha vida?, afirmou Leandro, mesmo referindo-se a sua primeira Olimpíada. ?Sou jovem, mas não vou encarar Atenas como um teste para Pequim 2008. Vou entrar como se fosse a Olimpíada da minha vida.? O Brasil disputará as sete categorias olímpicas no masculino. A equipe titular tem Alexandre Lee (ligeiro), Henrique Guimarães (meio-leve), Leandro Guilheiro (leve), Flávio Canto (meio-médio), Carlos Honorato (médio), Mário Sabino (meio-pesado) e Daniel Hernandes (pesado). As meninas têm vagas em quatro das sete categorias, com Daniela Polzin (ligeiro), Danielle Zangrando (leve), Vânia Ishii (meio-médio) e Edinanci Silva (meio-pesado). A equipe aguarda a decisão da Federação de Judô do Canadá sobre o peso meio-leve ? caso o país não leve sua atleta, que não tem o índice técnico exigido internamente pela entidade, a vaga será do Brasil e de Fabiane Hukuda. No dia 18 sai a decisão canadense. Nesta sexta-feira, Guilheiro ganhou os dois combates do dia, um por yuko, no golden score (prorrogação), e outro por koka. Em Atenas, aliás, será a primeira vez, que as lutas de judô terão golden score. Leandro Guilheiro havia vencido Camilo na primeira seletiva, em dezembro, também por 2 a 0. Camilo, que teve sua preparação prejudicada por uma lesão no joelho direito, abraçou a mãe que sofreu a decepção de ver os dois filhos fora da equipe titular. Thiago Camilo, medalha de prata em Sydney, também será reserva da equipe olímpica. Perdeu a seletiva para Flávio Canto, por penalização do árbitro nos segundos finais da luta, numa decisão muito polêmica. ?Tive de fazer uma luta tática. Perdi do Chicão (Luiz Camilo) na seletiva para o Pan em 2003. Foi o ano dele. Mas agora chegou a minha vez. Desde agosto não perco no Brasil e vou pensar em trabalhar firme para tentar uma medalha olímpica?, disse Guilheiro, campeão mundial de juniores em 2002, destacando Estados Unidos, Coréia e França como grandes adversários na Grécia. Guilheiro se acha privilegiado por ser treinado por Rogério Sampaio e receber dicas de Aurélio Miguel (campeão olímpico em Seul/1988, e coordenador de judô do São Paulo). ?Conviver com eles é uma lição de vida.? Sampaio acha que Guilheiro pode ser favorecido por não ter a pressão do favoritismo. ?Também ganhei minha medalha assim.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.