Guilheiro mantém fama de rei do pódio e fica com o bronze

Medalha, porém, não satisfaz o brasileiro, que esperava repetir resultado do ano passado, quando disputou o ouro

Wilson Baldini Jr. / PARIS, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2011 | 00h00

O judoca Leandro Guilheiro é o rei dos pódios no judô. Ontem não foi diferente. O brasileiro, de 28 anos, conquistou a medalha de bronze na categoria meio-médio (até 81 quilos) no Mundial de Paris e somou a 20.ª conquista internacional de sua carreira.

Mas o lutador, nascido em Suzano e radicado em Santos, não estava feliz. "Queria pelo menos repetir a final do ano passado", disse. "Mas meu judô desta vez não fluiu. Estava extremamente treinado, mas talvez estivesse cansado. Este ano foram muitas competições: Mundial Militar, Pan, Grand Slam e Grand Prix."

Para Guilheiro, o fato de ser o segundo colocado no ranking não afetou seu desempenho, nem ajudou seus rivais por conhecerem seu estilo. Ele preferiu assumir a culpa pela derrota na semifinal para o adversário de Monte Negro. "Eu já o havia derrotado aqui mesmo, no Grand Slam de Paris, ano passado. Desta vez o mérito foi dele."

Medalha de bronze nas duas últimas olimpíadas, o brasileiro apontou o que pretende melhorar para Londres no ano que vem, afinal sua vaga ficou assegurada. "Velocidade na pegada e movimentação. Com isso, poderei derrubar qualquer um." O judoca destacou sua regularidade. Desde que passou a lutar entre os meio-médios, conseguiu 13 medalhas em 14 competições internacionais.

Guilheiro estreou com uma vitória sobre o colombiano Pedro Castro. A luta foi truncada com os dois lutadores punidos. O brasileiro venceu por wazari (três punições do rival). No segundo duelo, o iraniano Nejad Ghasemi também só agarrou o brasileiro e também sofreu três punições.

A terceira vitória foi emocionante. Diante do francês Alain Schmitt, a vaga nas quartas de final veio com decisão dos jurados no golden score. Diante de Sergiu Toma, da Moldávia, o brasileiro conseguiu um yuko e levou a vantagem até o fim.

A derrota veio na semifinal, quando foi superado pelo montenegrino Srdjan Mrvaljevic. Na disputa do bronze, o brasileiro venceu Elkhan Rajabli, do Azerbaijão, por ippon.

Outros resultados: Flávio Canto, entre os meio-médios, caiu na terceira luta, quando perdeu para o russo Ivan Nifontov. No feminino, a peso-médio Mariana Silva perdeu para a austríaca Hilde Drexler.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.