Há 20 anos Ayrton Senna se tornava bicampeão mundial de F-1 em Suzuka

Brasileiro se chocou com Alain Prost e ficou com o título do Mundial de Pilotos por antecipação

ROSE SACONI/Arquivo Estado,

21 de outubro de 2010 | 10h56

O piloto Ayrton Senna conquistou o bicampeonato de Fórmula 1 pouco depois da largada do Grande Prêmio do Japão. Num lance polêmico, que ficou registrado para sempre na história do automobilismo, ele e o piloto francês Alain Prost se chocaram na tomada da primeira curva do circuito de Suzuka. Os dois foram parar na areia, sem a menor condição de voltar à corrida. Ruim para o francês, que precisava de uma vitória no Japão para levar a decisão para a Austrália. Melhor para o brasileiro, que ficou com o título.

Senna voltou a pé para os boxes, um pouco pálido, mas tranquilo. Jogou o capacete para os mecânicos e abraçou Ron Dennis, antes de cumprimentar o pessoal da McLaren e da Honda.

"Hoje o Brasil é o país de Ayrton Senna, o bicampeão de 26 vitórias, 51 poles e um inesgotável talento para demolir recordes", dizia o Estado na capa do caderno de Esportes, que estampou em quatro colunas uma foto do piloto sorrindo com o título "Senna consagra o país do automobilismo".

O esportista favorito dos brasileiros tinha na época 30 anos e várias conquistas, como 50 pole-positions (13 em apenas em uma temporada), oito vitórias em um único ano (1988, quando foi campeão mundial pela primeira vez), além de ganhos anuais de cerca de 10 milhões de dólares entre prêmios e patrocínios.

Logo após a corrida, Senna passou a tarde toda falando aos jornalistas. Aos enviados especiais do Estado e JT o piloto declarara que chamava de 'intensidade' o que, para os outros, era considerado 'agressividade'. A intensidade é uma de suas forças, explicou, não só como piloto, mas como ser humano. "Luto com todas as minhas forças a cada volta: 99% não me satisfazem, quero os 100%. Corro atrás daquilo que não consegui". Quando colocava o capacete, dizia ter controle absoluto sobre tudo, corpo, carro, circuito, adversários. Por isso, acrescentou aos jornalistas, sofrera poucos acidentes até aquele momento e saíram sempre ileso de todos.

Ayrton Senna da Silva nasceu no dia 21 de março de 1960, em São Paulo, e iniciou sua carreira de vitórias no kart, aos 13 anos. No dia 1.º de maio de 1994, após um acidente na curva Tamborello, no circuito de Ímola, o brasileiro, pilotando uma Williams, bateu forte no muro, interrompendo assim sua brilhante trajetória de piloto, que já acumulava o título de tricampeão da Fórmula 1 (1988, 90 e 91), 610 pontos, 41 vitórias e 65 pole positions na categoria.

Desde sua estreia na F-1, pela equipe Toleman, em 1984, até sua morte, dez anos depois, Senna sempre chamou atenção pela ousadia e por brigar pelos títulos mesmo com carros inferiores. Em várias corridas, demonstrando raça e determinação, conseguiu superar os problemas mecânicos do veículo - no GP Brasil de 1991, por exemplo, perdeu a sexta e sétima marcha de sua McLaren e, mesmo assim, conquistou o primeiro lugar da prova.

Seu primeiro título veio em 1988, quando tinha 28 anos, em sua estreia na McLaren. Neste ano, deixou para trás Nigel Mansell, Alain Prost e Nelson Piquet, os melhores pilotos da época. Em 1990 e 1991, reinou absoluto, seguindo de perto por Prost, seu maior rival.

Saiba mais:

- "Prost, em ocasiões diversas do passado, agiu de tal forma que não mereceu uma vitória. E nada aconteceu e nada se disse. Hoje ele perdeu e quando perde é sempre assim. Ele sempre reclama. Esse é o caráter de Prost", desabafou Senna após a corrida.

- Pouco depois da largada do GP do Japão, um acidente tirou Ayrton Senna e Alain Prost da corrida. O acidente acabou dando o bicampeonato ao brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.