Clayton de Souza/AE - 22/7/2011
Clayton de Souza/AE - 22/7/2011

Habilidade de se dar bem fora de casa é esperança

São Paulo é o time com melhor desempenho longe de seus domínios e conta com isso para superar Botafogo, no Engenhão

PAULO GALDIERI, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2011 | 03h03

O São Paulo tem se notabilizado neste Campeonato Brasileiro por ser um time que tem garantido a boa campanha na base dos pontos fora de casa. E, nesta rodada, contra o Botafogo, a habilidade para jogar no domínio do rival será testada.

Depois do 0 a 0 no clássico com o Corinthians, no Morumbi, o time enfrenta mais uma vez um adversário direto na luta pelo título e que, assim como o arquirrival, tem sido um dos seus maiores carrascos ultimamente.

Antes freguês histórico do São Paulo - ficou dez jogos sem vencer o time paulista, entre 2004 e 2008 - o Botafogo não conhece derrota para o São Paulo jogando no Rio há quatro partidas. E, em todas elas, venceu, seja jogando no Morumbi, seja atuando no Engenhão, palco do duelo de hoje, que vale no mínimo a vice-liderança do Brasileiro.

Para tentar esse jejum que já começa a incomodar a todos no Morumbi, o técnico Adilson Batista espera contar com a força que o time tem demonstrado jogando fora de casa.

E parte das esperanças o técnico deposita em Lucas. O menino não jogou a partida do primeiro turno, quando São Paulo perdeu em casa por 2 a 0, ainda sob o comando de Paulo César Carpegiani. Lucas estava na Copa América com a seleção brasileira e era um dos muitos desfalques que o time tinha na fase mais complicada da competição.

Essa, aliás, é a principal diferença que Adilson Batista identifica entre o São Paulo que ele encontrou ao ser contratado e a equipe que hoje luta para ser campeã. "O grupo está ficando inteiro, o que é importante para os jogos mais duros", disse.

Em cima desse discurso, o treinador aposta que o São Paulo não sentirá a falta do zagueiro João Filipe, impossibilitado de jogar por força de contrato (ele está emprestado pelo Botafogo) e do volante Casemiro, suspenso. No lugar do volante quem entra é Denilson. Depois de quase dois meses ele volta a jogar e ainda está em busca de comprovar que o São Paulo fez bom negócio ao repatriá-lo - já foi expulso duas vezes neste campeonato.

Botafogo. No time carioca, o técnico Caio Júnior evoca o clima de decisão. "Temos que impor nosso jogo. A vitória pode nos dar uma segurança na busca pelo título", afirma. A equipe vem de vitória sobre o Grêmio, no Sul.

BOTAFOGO X SÃO PAULO

BOTAFOGO: Renan; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel; Herrera e Loco Abreu. Técnico: Caio Júnior

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris, Xandão, Rhodolfo e Juan; Denílson, Carlinhos Paraíba, Wellington e Cícero; Lucas e Henrique (Marlos). Técnico: Adilson Batista

Local: estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 25 de setembro de 2011, domingo

Hora: 16h (de Brasília)

Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-DF)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.