Haiti conquista 1.ª medalha com judoca que vive nos EUA

Medalha é recebida com festa por torcedores

Tatiana Ramil, REUTERS

19 de julho de 2007 | 21h05

O judoca Joel Brutus,responsável pela conquista da primeira medalha do Haiti nosJogos Pan-Americanos do Rio, não visita seu país natal desde1995, quando se mudou para os Estados Unidos. Brutus, medalhista de prata no Pan de Santo Domingo, em2003, ganhou nesta quinta-feira no Rio de Janeiro o bronze nacategoria pesada, mais de 100 quilos. "A medalha é muito importante para mim e para o meu país.Eu não tinha nível para estar na final", disse Brutus, de 32anos, a jornalistas. O judoca disse que quando tinha 16 anos dois treinadores oconvidaram para jogar futebol americano, mas seu pai não deixouporque ele teria que morar nos Estados Unidos. Quando ele eseus pais se mudaram para lá, em 1995, ele tentou praticar amodalidade mas não se deu bem. "Meus aspectos físicos sempre foram interessantes e acabeino judô", declarou o atleta, formado em engenharia eletrônica,que há 12 anos não volta ao Haiti. "Minha família mora nos Estados Unidos, por isso não vou...embora more nos Estados Unidos, nasci no Haiti, falo a línguade lá sem sotaque e eles apreciam isso", acrescentou o judoca,explicando que os haitianos provavelmente terão orgulho de suamedalha. País marcado por turbulências políticas e nação mais pobredas Américas, o Haiti disputa o Pan com 37 atletas quecompetirão em cinco modalidades. A expectativa do país é deconquistar entre três e quatro medalhas, disse à Reuters osecretário-geral do Comitê Olímpico Haitiano, AlainJean-Pierre, antes da competição. Vinte atletas que representarão o Haiti no Pan moram nopaís e o número só é superior ao dos "estrangeiros" porque amaioria dos jogadores da equipe de futebol mora em terrashaitianas.

Tudo o que sabemos sobre:
ESPORTESPANHAITIBRONZE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.