Hamilton a um passo do título

Piloto inglês ganha GP do Japão, distancia-se 12 pontos de Alonso e pode conquistar Mundial na próxima etapa

Livio Oricchio, O Estadao de S.Paulo

01 de outubro de 2007 | 00h00

Parece ser sina do Autódromo de Fuji: na primeira edição da prova, em 1976, sob chuva intensa, James Hunt, da McLaren, foi campeão do mundo. Ontem, 31 anos depois, na volta do autódromo ao calendário da Fórmula 1, de novo a chuva interveio na competição e Lewis Hamilton, também da McLaren, praticamente tornou-se campeão do mundo ao vencer o GP do Japão. Já para Felipe Massa, da Ferrari, o sonho do título acabou ontem, com o sexto lugar.A visibilidade era baixíssima, bem como o nível de aderência do asfalto, por conta do volume de água na pista, a ponto de o safety car permanecer na prova da largada à 19ª volta de um total de 67. Cenário perfeito para pilotos pouco experientes cometerem erros. Mas Lewis Hamilton pertence a outra classe. Mesmo estreante no Mundial, liderou com competência a maior parte da 15ª etapa do campeonato e ficou, agora, 12 pontos à frente do companheiro de equipe, Fernando Alonso (107 a 95), que bateu na 41ª volta.''''Não vou fazer festa hoje à noite, mas o resultado é um tremendo avanço no meu objetivo maior'''', afirmou Hamilton. O desafeto Alonso o pressionou até seu primeiro pit stop, na 27ª volta. Mas ao regressar à pista, pesado por ter enchido o tanque ao máximo e por causa dos retardatários, seu tempo de volta piorou muito. Hamilton parou na passagem seguinte e deixou os boxes com uma boa vantagem para Alonso. O trabalho de Hamilton foi facilitado por outra bobagem da Ferrari. Mesmo com Kimi Raikkonen saindo da pista na volta de alinhamento, a direção do time italiano optou pelo uso dos pneus intermediários para seus dois pilotos em vez dos de chuva intensa, como os demais, e a exemplo do imposto pela direção de prova.Um comunicado distribuído às 12h15 deixava claro a obrigação dos pneus para chuva forte, caso a largada fosse dada com o safety car. A Ferrari alega ter recebido a informação, por e-mail, às 13h37, depois do início da corrida. A direção de prova avisou Stefano Domenicali, diretor-esportivo, que se Raikkonen e Massa não trocassem os pneus intermediários pelos de chuva intensa seriam desclassificados. Massa parou na segunda volta e Raikkonen, na seguinte. ''''Isso acabou com nossas chances'''', disse Raikkonen. Ainda assim, o terceiro lugar de Raikkonen o mantém com remota possibilidade de ser campeão, já que há em jogo 20 pontos nas provas de Xangai e de São Paulo e, entre ele e Hamilton, a diferença é de 17 pontos (107 a 90). Alonso permaneceu com 95. O espanhol admitiu, ao regressar aos boxes, que apenas um milagre o fará campeão. ''''Preciso recuperar 6 pontos por corrida.''''Seu acidente foi feio. Na freada da curva 6, na 41ª volta, o bicampeão do mundo perdeu o controle do carro e bateu no muro de proteção interno. ''''Aquaplanagem, foi isso.'''' Foi a primeira vez este ano que Alonso não marcou pontos no campeonato.Em outro acidente, Sebastian Vettel, da Toro Rosso, atingiu Mark Webber (Red Bull) e ambos saíram da prova. Vettel será punido com a perda de dez colocações no grid no GP da China, próxima etapa do campeonato, domingo, em Xangai.Para completar o desastre da Toro Rosso, Vitantonio Liuzzi, que havia conquistado o primeiro ponto da escuderia com o oitavo lugar, recebeu uma pena de 25 segundos ao tempo de corrida por ultrapassar sob bandeira amarela. Perdeu o ponto para Adrian Sutil, da Spyker.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.