Hamilton enfrenta corte antes de viajar para corrida noturna

Inglês vai comparecer ao julgamento de sua punição, que lhe tirou a vitória no último GP da Bélgica

ALAN BALDWIN, REUTERS

21 de setembro de 2008 | 13h17

Lewis Hamilton vai comparecer à corte de apelações de Paris na segunda-feira para audiência que pode afetar o resultado do campeonato de Fórmula 1. Seis pontos estão em jogo para o piloto de 23 anos, que deve comparecer à audiência com os chefes da equipe McLaren antes de voar para Cingapura para se preparar para a primeira corrida noturna da Fórmula 1, no domingo. Se a corte decidir contrariar os fiscais do Grande Prêmio da Bélgica, que tiraram a vitória de Hamilton no circuito de Spa este mês, deixando-o em terceiro lugar, por ter cortado uma chicane, então o piloto da McLaren pode ter sua vantagem sobre Felipe Massa, da Ferrari, aumentada de um ponto para sete, com quatro corridas para o final do campeonato. O brasileiro Massa herdou o primeiro lugar em Spa-Francorchamps, sua quinta vitória na temporada, depois de terminar a corrida em segundo lugar. O veredito da corte deve ser anunciado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) na terça-feira, mas três juízes têm que decidir primeiro se a queixa da equipe é aceitável. Os fiscais da prova deram uma punição retroativa a Hamilton, com um 'drive-through', o que significou um acréscimo de 25 segundos ao tempo do piloto na prova, depois de decidirem que o piloto obteve vantagem ao cortar a chicane quando disputava a liderança com Kimi Raikkonen, da Ferrari, nas últimas voltas. MUITO DURA A McLaren, que viu Hamilton e seu ex-parceiro de equipe Fernando Alonso perderem o título para Raikkonen por um ponto no ano passado, argumentará que Hamilton devolveu a posição ganha e que a punição foi muito dura. Eles também estão seguros para repetir a assertiva de que o controle da prova disse a eles por duas vezes depois do incidente que Hamilton estava limpo. "Tudo o que podemos fazer é apresentar os fatos", afirmou o executivo-chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, após o Grande Prêmio de Monza, na Itália. "A maioria das pessoas que estava vendo a prova diria que Lewis merecia vencer a corrida, não Felipe", acrescentou o britânico. A FIA explicou as regras em Monza, lembrando aos pilotos que eles deveriam ceder a posição e permitir pelo menos uma curva antes de ultrapassar novamente, caso tivessem obtido vantagem ao cortar uma chicane. No entanto, Whitmarsh não espera que isso tenha algum efeito na audiência.

Tudo o que sabemos sobre:
FUMHAMILTON

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.