Hamilton: histórico de mau comportamento

Mais uma vez, inglês provoca acidente em tentativa de ultrapassar Massa. Brasileiro cita necessidade de punição

CINGAPURA, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2011 | 03h05

Mais uma vez Felipe Massa e Lewis Hamilton se envolveram em um acidente que prejudicou a ambos. E mais uma vez a responsabilidade foi do inglês da McLaren. Massa criticou duramente o já desafeto e deixa no ar a necessidade de uma punição maior, não apenas esporádicos drive through, como ontem, pelos antecedentes de Hamilton na temporada.

Ainda na 11.ª volta de um total de 61, logo depois de deixarem os boxes, em seguida à primeira troca de pneus, Hamilton encostou o bico do aerofólio dianteiro no pneu traseiro esquerdo da Ferrari, furando-o, na tentativa desmedida, para aquela condição, de tentar ganhar o quinto lugar de Massa.

"Eu estava na reta (anterior à curva 7), a 300 quilômetros por hora, e ele nem mesmo do meu lado, mas atrás. Ele me tocou e cheguei para a freada com o pneu furado", explicou Massa. Por considerar que Hamilton provocou o acidente, os comissários desportivos o puniram com um drive through. Mas a história não terminou aí. O piloto da Ferrari o procurou logo depois de saírem dos carros.

"Eu o chamei duas vezes e ele passou reto. Vou falar o quê de uma pessoa que pensa desse jeito?", comentou Massa. Na sua visão, talvez fosse o caso de a FIA punir Hamilton com maior rigor. "O problema é que ele não aprende. Temos uma federação que trabalha nesse sentido. Espero que olhem e talvez, se tiver uma punição mais alta, ele possa aprender mais."

A conta de Hamilton com a FIA está alta, este ano. Começou ainda no GP da Malásia, quando teve 20 segundos acrescentados ao tempo de corrida por fazer zigue-zague na frente de Fernando Alonso, da Ferrari. Em Mônaco, perdeu o tempo da melhor volta na classificação por cortar a chicane. Na corrida, tocou em Massa na curva Loews, a mais lenta, danificou o aerofólio dianteiro da Ferrari, o que colaborou para a batida do brasileiro no túnel. Hamilton recebeu drive through.

E ainda no GP de Mônaco forçou tanto a ultrapassagem em Pastor Maldonado, da Williams, que o mandou para a barreira de pneus. Recebeu nova punição na mesma prova: 20 segundos ao tempo total.

Na etapa de Montreal, Hamilton tocou em Mark Webber, Red Bull, fazendo com que rodasse. Três voltas depois, tentou uma ultrapassagem de alto risco no próprio companheiro, Jenson Button, e bateu na reta dos boxes. No circuito de casa do inglês, Silverstone, na última curva, da última volta, para ganhar o quarto lugar de Massa, Hamilton acabou tocando-o. Mas o brasileiro o inocentou: "Coisa de corrida".

A lista prossegue: em Spa-Francorchamps, na Bélgica, avaliou mal a ultrapassagem em Kamui Kobayashi, da Sauber, e se acidentou no fim da reta.

Ontem, como lembrou Massa, Hamilton deu mostras de parecer não aprender, apesar de seu imenso talento e gana que tem de vencer. Provocou o furo no pneu de Massa sendo que já no Q3 da classificação, sábado, tentou ultrapassá-lo na volta de aquecimento de pneus, quase provocando um acidente. É possível que, se no GP do Japão, dia 9, Hamilton for considerado culpado por novo acidente, receba uma corrida de suspensão. / L.O.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.