Hamilton se aperta enquanto Kovalainen desabafa

Uma parada no banheiro feztoda a diferença na postura de Hamilton no Grande Prêmio daTurquia neste domingo. Superado no grid de largada por seu feliz companheiro deequipe Heikki Kovalainen, o britânico de 23 anos teve queatravessar em agonia uma coletiva de imprensa antes de poderatender ao chamado da natureza. Sua linguagem corporal e sua gesticulação nervosa pareciamindicar que ele estava insatisfeito com seu desempenho depoisde fazer o que chamou de escolha errada de pneus e seclassificar em terceiro. Segundo no grid de domingo, Kovalainen larga na primeirafileira pela primeira vez. "Escolhi os pneus errados e eles não tiveram o desempenhoesperado, nem o carro estava grande coisa", declarou obritânico laconicamente em resposta a uma pergunta. Indagado mais a fundo sobre sua decepção evidente, onovato-sensação e vice-campeão do ano passado finalmente abriuo jogo. "É que preciso ir no banheiro, só isso", explicou. "E realmente me pergunto se Heikki é mesmo finlandês,porque as respostas dele são as mais longas que já ouvi." Kovalainen, ao contrário de seu monossilábico compatriota ecampeão mundial Kimi Raikkonen, havia falado longamente sobresua recuperação de uma colisão grave em Barcelona duas semanasatrás, os exames que teve que fazer e o programa de treinamentopós-recuperação. Mais duas perguntas rápidas e Hamilton era um homem livre.Ao encontrar os repórteres mais tarde, soava mais relaxado ehavia mudado de tom. "Acho que de fato fizemos a escolha certa", disse ele sobrea opção pelos pneus duros. "Foi o melhor pneu para usarmos. Na ocasião eu achei quenão era o pneu que deveria ter usado, mas estive olhando osdados e foi a decisão certa", afirmou. "Estamos em terceiro, melhor do que nas últimas corridas,então não é o fim do mundo", acrescentou o piloto. "Estamos emuma boa posição para atacar na primeira volta e lutar pelavitória", disse. "Mas vai ser difícil... Quero vencer tanto quanto osoutros, e às vezes você sente que se algo não está 100 porcento, precisa ser melhorado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.