Hamilton segue colecionando erros. Adversários agradecem

Desta vez o piloto da McLaren bateu em Mark Webber e teve de deixar a prova. Red Bull também erra na estratégia de equipe

, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2010 | 00h00

Os adversários de Fernando Alonso vão colecionando equívocos e o espanhol, agora com uma Ferrari bem mais eficiente, agradece e aproveita as oportunidades para ficar numa situação muito boa para disputar o título. Ontem, o então vice-líder do campeonato, Lewis Hamilton, da McLaren, de novo interpretou mal a possibilidade de ultrapassar um adversário, no caso Mark Webber, colidiu e abandonou a prova. Em Monza, havia feito o mesmo com Felipe Massa. Com a vitória de ontem, Alonso o deixou para trás na classificação.

Um dado impressiona nessa arrancada do espanhol e da Ferrari: depois do GP da Grã-Bretanha, 10.º do calendário, dia 11 de julho, Hamilton liderava o Mundial com 145 pontos enquanto Alonso tinha 98, ou nada menos de 47 a menos que o inglês. Agora, Hamilton soma 182 pontos, está na terceira colocação, 9 pontos atrás do espanhol.

Na Red Bull, diferentemente da Ferrari, não há concentração de interesse no piloto mais bem colocado na classificação. Ontem, a equipe não fez a menor questão de inventar algo no carro de Sebastian Vettel a fim de Webber ultrapassá-lo e somar 3 pontos a mais. Vettel acabou em segundo e Webber, terceiro.

A diferença de Webber, líder, para Alonso, segundo, é de 11 pontos (202 a 191). Se a Red Bull privilegiasse Webber, afinal possuía 24 pontos a mais que Vettel, o australiano teria 14 pontos a mais que o asturiano, e não 11. É provável que essa fosse a decisão da Ferrari de Alonso. E, em 2007, Hamilton e Alonso, companheiros de McLaren, empatados, perderam o campeonato para Kimi Raikkonen, da Ferrari, por um ponto, 110 a 109. A pista de Suzuka, dia 10, parece ser o mais perfeito cenário para a Red Bull. Se o time deixar a disputa entre Vettel e Webber correr livre, Alonso pode mais uma vez se aproveitar e, claro, agradecer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.