Handebol: brasileiras tentam milagre

A Coréia do Sul é o próximo desafio da seleção brasileira nas quartas-de-final do handebol feminino, dos Jogos Olímpicos de Atenas, que será disputada nesta quinta-feira, às 13h30 (horário de Brasília). Pegar a seleção coreana nessa fase do mata-mata não estava exatamente nos planos do Brasil. Mas com a derrota para as chinesas na fase classificatória para as quartas-de-final, a equipe do técnico Alexandre Trevisan Schneider terminou em quarto lugar no Grupo A e terá de enfrentar o primeiro da chave B, posição conquistada pela Coréia. Para conseguir avançar para a semifinal, a seleção brasileira terá de fazer milagre, já que vem de uma campanha bastante irregular, somando três derrotas e uma única vitória. Elas estrearam bem na Olimpíada, vencendo a Grécia, mas cometeram muitos erros nas partidas seguintes e sucumbiram aos times da Ucrânia, Hungria e, por fim, da China. Mesmo colecionando placares desfavoráveis, as brasileiras foram beneficiadas na classificação para as quartas, graças às gregas que perderam para ucranianas e tinham saldo negativo de 50 gols. A seleção do Brasil está consciente que tem uma pedreira frente. Na opinião da goleira Chana, as adversárias coreanas são muito mais técnica e perfeitas que as chinesas, além de serem mais rápidas. ?A Coréia passou por cima de todo mundo no grupo dela?, observou a goleira. ?Vamos pegar quem não queríamos?, admitiu o treinador, referindo-se à Coréia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.