Handebol brasileiro fica fora de premiação de melhores de 2016

Ausência reflete fraca campanha dos times nos Jogos Olímpicos

O Estado de S.Paulo

23 Fevereiro 2017 | 15h54

A Federação Internacional de Handebol (IHF, na sigla em inglês) abriu nesta quinta-feira o processo de escolha de melhores jogadores e técnicos da modalidade em 2016 e não incluiu ninguém da seleção brasileira. É a segunda vez seguida que isso acontece.

Em 2012, Alexandra Nascimento foi eleita a melhor jogadora do mundo, prêmio vencido por Eduarda Amorim, a Duda, em 2014. Além disso, o técnico Morten Soubak foi um dos finalistas como melhor técnico de uma equipe feminina por quatro vezes seguidas entre 2011 e 2014.

A ausência de brasileiros na premiação referente a 2016 reflete a campanha fracassada dos times da casa nos Jogos Olímpicos do Rio, ambos caindo nas quartas de final. Depois disso, Soubak não renovou contrato e deixou a seleção. Da mesma forma, o técnico do time masculino, Jordi Ribera, voltou para a Espanha.

Melhor do mundo em 2007 e 2014, o francês Nikola Karabatic é um dos favoritos a ficar com o prêmio entre os homens, concorrendo principalmente com o dinamarquês Mikkel Hansen, campeão olímpico. Entre as mulheres, a disputa deve ser entre a norueguesa Nora Mork, a romena Cristina Neagu e a holandesa Nycke Groot. Os vencedores, definidos por votação online, serão conhecidos em 9 de março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.