Cinara Piccolo/Divulgação
Cinara Piccolo/Divulgação

Handebol campeão decepciona e empata com a Argentina

Quinta-feira é marcada por cinco medalhas de ouro para o Brasil nos Jogos Sul-Americanos

AE, Agência Estado

13 de março de 2014 | 20h49

SANTIAGO - O dia foi de poucas medalhas de ouro para o Brasil nesta quinta-feira, em Santiago, quando teve início da segunda metade do calendário dos Jogos Sul-Americanos. O destaque ficou com o atletismo, que foi ao lugar mais alto do pódio com dois atletas que estiveram no Mundial Indoor, no fim de semana passado: Augusto Dutra, no salto com vara, e Keila Costa, no salto triplo.

A maior zebra aconteceu no handebol. Em Viña del Mar, a seleção brasileira feminina, com 11 jogadoras que foram campeãs mundiais em dezembro, só empatou em 23 a 23 com a Argentina, time que costuma ser presa fácil do Brasil entre as mulheres - a final do Campeonato Pan-Americano do ano passado foi 38 a 15. Mas a equipe do técnico Morten Soubak tem melhor saldo de gols no pentagonal e deve garantir o título contra o Uruguai, no sábado.

"Tomamos um susto, não pela forma como a Argentina entrou, mas por não termos conseguido fazer o que tínhamos planejado. Tínhamos visto a vídeos e sabíamos do crescimento delas. É uma equipe totalmente diferente da qual nós jogamos contra no ano passado, em Mar del Plata, no Sul-Americano, e na República Dominicana, no Pan-Americano. Além disso, hoje (quinta) elas queriam mostrar que não é só o Brasil que pode jogar bem", comentou Soubak.

Na canoagem, duas medalhas no caiaque feminino. De ouro no K1 500m, com Ana Paula Vergutz, e de prata no K2, com a canoista ganhando a companhia de Bruna Chicato. A Argentina venceu a prova.

Melhor brasileiro da esgrima, Renzo Agresta não teve nenhuma dificuldade para conquistar o ouro no sabre, vencendo Israel Vásquez, do Chile, na final, por 15 a 7. Tywilliam Guzenski foi eliminado nas quartas de final. Entre as mulheres, decepção. Gabriela Cecchini, medalhista de bronze no Mundial de Cadetes, caiu nas quartas no florete, mesmo resultado de Tais Rochel.

No judô, dia ruim, sem nenhuma medalha de ouro. Foram três de bronze, com Gustavo Assis (81kg), Eduardo Santos (90kg) e Renata Januário (78kg). Bárbara Timo perdeu na estreia, mas ficou com a prata no pentagonal da categoria até 70kg.

O tênis de mesa confirmou o favoritismo e avançou às finais das duas disputas do dia, nas duplas, com Cazuo Matsumoto e Thiago Monteiro no masculino e Jessica Yamada e Gui Lin no feminino. As decisões do ouro, respectivamente contra Paraguai e Colômbia, serão na sexta.

Principal nome do tiro com arco no Brasil, Sarah Nikitin, que foi até as quartas de final do último Mundial, amargou o bronze no Chile. Na semifinal, perdeu da colombiana Maria Alejandra Sepúlveda Vila. Já o tiro esportivo ganhou ouro no Rifle de Ar de 10m, com Bruno Heck.

Rogério Dutra Silva confirmou o favoritismo e avançou às semifinais no tênis, vencendo Carlos Caicedo, da Colômbia, por 2 sets a 0 (6/2 e 7/6). Paula Gonçalves também passou, mas Laura Pigossi ficou pelo caminho. No vôlei de praia, seis jogos e seis vitórias por 2 sets a 0 das quatro duplas brasileiras (duas em cada naipe).

Nova equipe brasileira no dueto do nado sincronizado, Luisa Borges e Giovana Stephan ficaram atrás da Argentina na rotina técnica, realizada nesta quinta. No levantamento de peso, as três categorias disputadas não tiveram a presença de brasileiros.

Tudo o que sabemos sobre:
handebolJogos Sul-Americanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.