Havaiano aproveita boas ondas e dá show em etapa do WQS

As boas ondas finalmente chegaram ao arquipélago de Fernando de Noronha, na manhã desta quinta-feira, e facilitaram a vida dos surfistas que entraram na água para as seis últimas baterias da segunda rodada. No terceiro dia do Hang Loose Pro Contest, segunda etapa brasileira do World Qualifying Series (WQS), divisão de acesso à elite do surfe mundial, os tubos chegaram a 2 metros de altura - mas não na praia da Cacimba do Padre, local da competição, e sim na Laje do Bode. E foi ali que o havaiano Mason Ho conquistou a melhor somatória de notas da disputa até agora: 18,17.Durante boa parte da manhã, as melhores ondas se formaram do lado direito, o que causou situação inusitada na competição. Os quatro juízes da competição, acomodados na arena do evento, em uma área mais central da praia, acompanharam os surfistas e foram para uma barraca improvisada na areia, a cerca de 300 metros da posição inicial. Sem o sistema eletrônico de notas - que não estava disponível para o narrador do evento -, os atletas fizeram um "vôo cego" e descobriam se estavam classificados apenas ao sair do mar.A terceira rodada, que contou com a entrada dos 48 principais cabeças de chave da disputa, foi iniciada no fim da manhã. Nas 12 baterias disputadas, de um total de 24, 13 brasileiros já estão garantidos na fase seguinte. Entre eles, o carioca Leandro Bastos, dono da maior nota individual da competição - 9,63 -, segundo colocado na sétima bateria, atrás do norte-americano Mike Todd. Também seguiu adiante o cearense Pablo Paulino, vice-campeão da etapa de Florianópolis e vencedor da terceira bateria.Na programação do Hang Loose Pro Contest, que entra nesta sexta em seu quarto dia, está a realização de 12 baterias restantes da terceira rodada. Durante a tarde, deve começar a disputa da quarta rodada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.