Hegemonia de Federer em jogo no US Open

Suíço busca 6.º título nos EUA, mas terá pela frente rivais em ascensão

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

31 de agosto de 2009 | 00h00

Rafael Nadal e Roger Federer dominaram os três primeiros torneios de Grand Slam da temporada. O espanhol levou o título na Austrália, enquanto o suíço se consagrou definitivamente em Roland Garros e Wimbledon. Os dois prometem disputar mais uma vez os holofotes no quarto e último capítulo da série, que se inicia hoje com o US Open. Mas parece que, desta vez, os principais rivais estão mais afiados e não deixarão os dois dividirem as honras sozinhos em Nova York.Federer segue emplacando conquistas. Depois de se tornar pai de gêmeas e amealhar o 15º título de Grand Slam da carreira em Londres, os fãs esperavam um jogador mais relaxado, lutando menos. Engano. O suíço cochilou nas quartas de final do Masters de Montreal, porém, na companhia da mulher Mirka Vavrinec e de Charlene Riva e Myla Rose, levou o título em Cincinnati, uma semana atrás. "Tenho jogado o meu melhor tênis", disse o número 1 do mundo, que estreia contra o desconhecido Devin Britton, 18 anos, 1.364º do ranking. "É um momento maravilhoso da minha vida. Ser pai me dá tranquilidade emocional muito grande. Posso pensar em vencer." O suíço eliminou em Cincinnati dois dos principais rivais na luta pelo sexto título consecutivo do Grand Slam americano. Bateu Novak Djokovic e Andy Murray, sobre quem também passou na final do US Open de 2008, mas que é um dos poucos tenistas do circuito contra quem tem retrospecto negativo - 3 vitórias e 6 derrotas. Murray mostra nesta temporada apetite para adicionar a sua galeria de troféus um espaço destinado aos quatro maiores títulos do tênis. Tomou de Nadal o posto de número 2 do mundo e venceu os Masters de Montreal e Miami. "Neste ano igualei meu melhor resultado (oitavas de final) na Austrália, superei duas rodadas mais em Roland Garros (foi às quartas) e cheguei mais longe do que nunca em Wimbledon (semifinal)", comentou o escocês, que joga contra o perigoso Ernest Gulbis na primeira rodada. "Agora um título de Grand Slam é a única coisa de que preciso. Posso conquistá-lo aqui."Nadal, que chegou ao posto de número 1 durante a temporada antes de sucumbir a uma tendinite nos dois joelhos, mostrou evolução física durante os torneios preparatórios ao US Open. Se pode vencer o único título de Grand Slam, o que ainda falta em seu currículo? "O terceiro favorito deve ter alguma chance, não?", retrucou o espanhol, que enfrenta o talentoso, mas irregular francês Richard Gasquet na abertura. O espanhol perdeu, em Cincinnati, para Novak Djokovic, o quarto do ranking e maior incógnita do US Open. "Infelizmente, nasci na era errada", brincou, após ser derrotado por Federer na preparação. "Chegar às fases finais já será vitória para mim." Juan Martin Del Potro e Andy Roddick completam o sexteto de favoritos. No feminino, Serena Williams defende o título. As maiores ameaças são sua irmã, Venus, e a russa Dinara Safina, a número 1 do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.