Heidfeld vence duelo com Bruno Senna

Lotus Renault escolhe alemão para substituir Kubica, que se recupera de acidente. Brasileiro[br]segue como 3º piloto

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2011 | 00h00

Com o esforçado Nick Heidfeld no lugar do talentoso Robert Kubica, os resultados da renovada equipe Lotus Renault não serão, provavelmente, os planejados em princípio. Mas diante de o time começar o campeonato, dia 13 de março, no Bahrein, com um projeto avançado, revolucionário aerodinamicamente, a experiência dos 172 GPs do alemão de 33 anos foi a melhor opção existente no mercado. Vai precisar da sua orientação segura.

Bruno Senna, piloto reserva da escuderia, já havia adiantado, nos testes de Jerez de la Frontera, semana passada, que o conhecimento adquirido por Heidfeld em 11 temporadas era uma opção lógica da Lotus Renault. Por maior que seja a capacidade de Bruno assumir o carro de Kubica significaria assumir parte do que se esperava do polonês e o que falta ao sobrinho de Ayrton Senna é exatamente experiência.

Será um ano de grandes aprendizados para Bruno e, quando tiver nova oportunidade, estará bem mais preparado. Se corresse no lugar de Kubica a possibilidade de comprometer seu futuro na F-1 seria maior que a chance de impressionar a todos, como terá depois do curso intensivo administrado pelo time.

Pesou muito na decisão de Eric Boullier, chefe da equipe, o trabalho superprofissional de Heidfeld sábado, dia que testou o modelo R31 em Jerez. Não pelo fato de ter estabelecido o melhor tempo do dia, para o time compreender a velocidade do piloto, mas pelas consistentes 86 voltas sem erros e informações técnicas enriquecedoras aos engenheiros. "Ele nos impressionou", disse Boullier, ontem. "Ele é rápido, experiente e é muito forte tecnicamente com seus comentários e compreensão do carro. Sempre disse que a prioridade era ter um piloto experiente no carro e sentimos que ele é o homem ideal para o trabalho."

Heidfeld, claro, lembrou que não gostaria de disputar o campeonato dessa forma, substituindo Kubica, acidentado dia 6 numa prova de rali, na Itália. Kubica necessitará de um longo período de recuperação. Sobre sua nova escuderia, o alemão falou: "Fiquei também impressionado com o entusiasmo do grupo e as instalações, em Enstone (Inglaterra)." A partir de amanhã Heidfeld e seu companheiro, o russo Vitaly Petrov, começarão a trabalhar juntos por quatro dias nos treinos de Barcelona, terceira série da pré-temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.