Michelle Mondini
Michelle Mondini

Henrique Avancini disputa medalha no Mundial de mountain bike

Ciclista brasileiro compete na modalidade XCO em um dos locais mais emblemáticos, o Mont Sainte-Anne, no Canadá

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

29 de agosto de 2019 | 11h03

O ciclista Henrique Avancini vai em busca do tão sonhado título mundial no mountain bike na modalidade XCO, o cross country olímpico, no Mont Sainte-Anne, no Canadá, local famoso pelas disputas da modalidade. "É realmente um lugar muito emblemático para a história do mountain bike", disse o atleta, que depois do Pan em Lima se preparou na Itália para a competição mais importante do ano.

Ele disputa a elite masculina no sábado e sabe que estará em um palco famoso do ciclismo. Foi em Sainte-Anne que ocorreram os Mundiais de 1998 e 2010, além de outras etapas da Copa do Mundo. "O Mundial será disputado em um dos lugares mais icônicos do mountain bike, na província de Quebec, e faz parte do calendário internacional desde o primeiro ano de Copa do Mundo. Em todas as temporadas sempre recebeu uma etapa de Copa ou o Mundial, que será nesse local pela terceira vez", comentou.

O atleta da equipe Cannondale Factory Racing vem fazendo uma grande temporada e recentemente foi medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos, em Lima. Só não ficou com o ouro porque teve um pneu furado na competição e acabou perdendo muito tempo para consertar seu equipamento. "Fiz minha preparação final em Livigno, na Itália. É um lugar que gosto muito e foi bem produtivo para reajustar meu corpo", contou.

Avancini garante que está em ótimas condições para brigar por um lugar no pódio e espera que o esforço do ano inteiro seja recompensado com um grande resultado no Canadá. "Eu diria que minha forma é boa para o Mundial. Venho tendo uma temporada muito consistente tanto em performance quanto em resultado. Acredito que tenha condições de nessa reta final da temporada conseguir extrair talvez minha melhor performance do ano", avisou, otimista.

O ciclista garante que o Mundial é seu principal objetivo no ano e ele sabe que terá adversários fortes pela frente, principalmente o suíço Nino Schurter. Os dois possuem grande rivalidade e o brasileiro, que é terceiro no ranking mundial, já provou que pode ser sombra do atleta que é considerado o melhor do mundo. "Sei das minhas possibilidades e não tenho tanta pressão por resultado. Espero que isso seja um ponto positivo para mim", disse.

O brasileiro garante que, apesar de pedalar em um local emblemático, o circuito no Mont Sainte-Anne é complicado, exigindo bastante a parte física dos atletas como também pede uma boa qualidade de pilotagem. "Estou na lista de candidatos à medalha e talvez até para ganhar o título, mas como um azarão, como alguém um pouco fora do radar. Estou motivado", completou Avancini, esperançoso por fazer um ótimo resultado.

No sábado, o evento será transmitido ao vivo pela Red Bull TV, com narração de Andrea Marcellini em português. O início da transmissão está marcado para as 13h (horário de Brasília) e primeiramente será disputada a elite feminina, depois a masculina na sequência. No domingo haverá a prova de downhill para os dois gêneros.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.