Divulgação
Divulgação

Henrique Avancini é esperança de ouro no Pan de Barbacena

Ciclista é o 15º no ranking da União Ciclística Internacional, o mais bem posicionado do continente

Alessandro Lucchetti, O Estado de S. Paulo

27 de março de 2014 | 19h43

SÃO PAULO - Começou nesta quinta-feira, em Barbacena, Minas Gerais, a competição de mountain bike mais importante do continente, a 18ª edição do Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike. Fazem parte da competição provas de cross country olímpico e downhill.

Henrique Avancini, o 15º do ranking da União Ciclística Internacional, é o ciclista do continente mais bem posicionado na listagem. Mas ele acredita que terá ao menos três grandes adversários: o argentino Gabriel Soto, medalha de bronze no Mundial na categoria sprint eliminator, o colombiano Fabio Castañeda, campeão do Pan em 2009 e 2013, e o canadense Raphael Gagné, que figurou no top 10 em algumas etapas da Copa do Mundo no ano passado.

Após acumular três anos de experiência no ciclismo italiano, pedalando na altitude das montanhas Dolomitas, Avancini voltou para outro lugar montanhoso, a sua Petrópolis natal, e agora faz parte da equipe Caloi Elite Team. O ciclista fluminense é um dos responsáveis pela boa posição do Brasil no ranking da UCI, a 11ª. Se o Brasil ficar posicionado entre a 6ª e a 13ª posição, poderá enviar dois competidores para as provas olímpicas de mountain bike, em 2016. Os cinco países mais bem colocados podem enviar três, e os países entre a 14ª e a 24ª posição participam com um representante solitário. O Brasil só conseguiu inscrever dois atletas em 96. De lá pra cá, sempre participou com apenas um.

"Nosso avanço se deve ao trabalho da inústria da bicicleta brasileira, não da confederação", diz Avancini. A Caloi, recentemente comprada pelo grupo canadense Dorel, criou a primeira equipe brasileira com chancela da UCI.

No downhill, o principal representante brasileiro é Bernardo Cruz, o 63º do ranking. Mineiro de Ouro Preto, ele é visto como o dono de um estilo único. "Acho que eu passo para os outros a impressão de que estou brincando. Gosto de brincar nos pulos, de entortar. Meu estilo é como se fosse motocross".

O Pan, será, na opinião de Bernardo, uma competição para quem tiver mais perna, porque a montanha onde está situada a pista não é das maiores, e apresenta apenas 4% de inclinação.

Tudo o que sabemos sobre:
ciclismoRio 2016

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.