Gaspar Nóbrega/Exemplus/COB
Gaspar Nóbrega/Exemplus/COB

Henrique Avancini festeja início forte e mira ouro no ciclismo mountain bike

Brasileiro vai usar o mês de junho para recarregar as energias e se preparar para as disputas internacionais

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2019 | 04h37

Henrique Avancini teve um começo de ano arrasador. Ele estava na República Checa, onde disputou a segunda etapa da Copa do Mundo de mountain bike, e acabou de retornar ao Brasil para um período de treinamento e para recarregar as energias para o segundo semestre, quando terá outras etapas da Copa do Mundo, Pan e Mundial.

“Está sendo um ano muito positivo. Esse começo de ano foi de longe o melhor que já tive. Venci dez provas do calendário internacional e fui vice na Cape Epic. Para essas duas primeiras etapas da Copa do Mundo, aplicamos uma carga de trabalho, mas meu corpo não absorveu totalmente, mas o resultado foi sólido”, disse ao Estado.

Na 1.ª etapa da Copa do Mundo, disputada em Albstadt, na Alemanha, Avancini ficou em quinto lugar no short track e em 18.º no XCO, a modalidade olímpica. “Acabei tendo um problema mecânico quando estava na terceira posição”, lamentou. Na semana seguinte, em Nové Mesto, na República Checa, ele foi melhor, com um terceiro no short track e quarto na XCO.

“Eu cravei três top 5 nos quatro eventos. Foi um bom começo e saio dessas duas rodadas na quinta colocação geral da Copa do Mundo. Pretendo crescer ao longo da temporada, como fiz no ano passado. Sigo para o restante do ano tentando refinar a minha preparação”, comentou o atleta da equipe Cannondale Factory Racing.

Em casa e perto da família, Avancini considera o mês de junho como fundamental para sua preparação. “É a última grande janela de preparação para o ano, para o segundo semestre, que será muito cheio de competições. Tenho grandes objetivos e o principal é vencer uma etapa da Copa do Mundo”, afirmou.

O ciclista vai para a serra fluminense, onde poderá ficar longe dos holofotes, treinar e ficar mais próximo da família. “Vou me isolar um pouco aqui no Brasil. Geralmente fico em Petrópolis, num local mais isolado, e faço treinamento em lugares mais tranquilos. Vou ficar mais tempo com família e esvaziar um pouco a cabeça. Quero recarregar a energia para entregar boas performances depois”, avisou, otimista para um bom ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.