Fábio Piva
Fábio Piva

Henrique Avancini vira acionista de startup para ampliar o mercado de bicicletas no Brasil

Segundo colocado no ranking mundial de mountain bike, atleta entra para o conselho da Semexe

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2022 | 15h00

Considerado o maior ciclista da história do Brasil, Henrique Avancini vem disputando a Copa do Mundo de mountain bike e tem como mira chegar bem aos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. Mas o atleta de 33 anos já começa a pensar na sua aposentadoria e decidiu unir o útil ao agradável, juntando sua paixão pelo ciclismo com um negócio que vem crescendo bastante nos últimos meses.

Avancini se tornou acionista da startup Semexe, que é especializada em compra e venda de produtos esportivos usados. No acordo, ele será membro do Conselho e atuará na Divisão de Ciclismo da marca. Isso não significa que ele vai parar os treinos e diminuir o ritmo das competições. Neste primeiro momento, garante que vai conciliar suas atividades como atleta profissional com o novo negócio.

"O que mais me motivou a me juntar à Semexe foi enxergar que existe uma sincronia entre os princípios da empresa e o que acredito para o mercado da bicicleta no Brasil. Eu venho me dedicando à bicicleta há muitos anos, cresci como atleta, cresci dentro de uma bike shop, e pude ver o crescimento da indústria atuando diretamente no mercado de bikes no Brasil", explicou.

O ciclista sempre utilizou seus feitos esportivos para tentar ampliar o alcance das bicicletas e da modalidade, seja no esporte ou na micro mobilidade das cidades. Até por isso, decidiu entrar nesse projeto e se mostra empolgado com o desafio. "Compreendi que eu poderia trazer uma visão e um valor diferente para uma empresa que estava tão disposta a fazer algo inovador no mercado da bicicleta", disse.

Campeão mundial de MTB maratona em 2018 e prata no short track do Mundial de 2021, Avancini atualmente é o segundo colocado no ranking mundial de XCO, a categoria olímpica, atrás apenas do suíço Nino Schurter, considerado o melhor da história. O atleta renovou com a equipe Cannondale Factory Racing até o fim de 2023 e vem de vitória na Copa Internacional de Mountain Bike de Araxá, em Minas Gerais, evento que ganhou pela 9ª vez seguida.

"Acho que é o lugar onde mais competi na minha carreira. Venci acho que seis vezes nas categorias e agora venci pela nona vez consecutiva na elite. Isso é bem difícil, um feito que me orgulho bastante. Já tive grandes disputas, com diversos atletas diferentes, e sempre consegui de alguma forma tirar forças para as vitórias. Às vezes não tão bem, às vezes não tão em boa forma, já competi doente, mas essa prova sempre me dá uma vontade e uma força extra para conseguir no final a vitória", afirmou.

Agora, vai começar a ajudar a Semexe fazendo parte do conselho e dando suporte na estratégia da marca junto à comunidade do ciclismo. Assim, ele pretende usar sua expertise de anos de carreira e seus contatos no alto rendimento para pensar em novas parcerias estratégicas para a marca, que já participou de seu projeto Pedaling for a Reason, uma iniciativa que promove leilões beneficentes e os recursos arrecadados são doados para entidades sociais.

Para Gabriel Novais, cofundador da Semexe, a chegada de Avancini na empresa vai ajudar bastante no crescimento da marca, que em 2021 teve um faturamento 290% maior em relação ao ano anterior. "Acompanho o trabalho do Henrique há quase uma década e essa aproximação foi natural. Ele mudou o ciclismo no Brasil e acreditou no projeto da Semexe de democratizar o acesso a equipamentos esportivos de qualidade. É um atleta diferenciado, com visão de longo prazo, conhecimento da indústria e uma vontade genuína de contribuir para o esporte. Será uma honra e uma responsabilidade ter ele ao nosso lado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.