Henrique Barbosa bate recorde e é ouro nos 100 metros peito

Com índice para Pequim, nadador brasileiro crava recorde continental no Campeonato Sul-Americano

Agência Estado,

13 de março de 2008 | 13h14

Com direito a novo recorde continental, o nadador Henrique Barbosa conquistou a medalha de ouro nos 100 metros peito do Campeonato Sul-Americano de Desportos Aquáticos, disputado no Clube Pinheiros, em São Paulo. Nesta quinta-feira, o brasileiro completou a prova em 1min01s44 - três centésimos melhor do que a antiga marca, que pertencia a ele mesmo. Veja também: Especial: Pequim, as cidades e os locais da Olimpíada 2008 Barbosa, que já tem índice olímpico para Pequim, destacou-se na segunda metade da prova e superou a pressão de Felipe Lima que, com 1min01s89, não conseguiu o índice para ir à China. Ele ainda terá mais uma chance, no Troféu Maria Lenk, em maio. A medalha de bronze na prova ficou com Edgar Crespo, do Panamá. Outro destaque nesta quinta-feira foi a disputa entre dois atletas que já têm índice para Pequim. Lucas Salatta superou Thiago Pereira e ficou com a medalha de ouro nos 200 metros costas ao cravar 2min01s22, tempo bem acima do índice - 1min59s72 - e também distante do recorde continental, de 1min58s42, que pertence ao próprio Thiago Pereira. Aliás, Thiago Pereira também disputou os 200 metros livre. Com o tempo de 1min53s23, ele foi superado por outro brasileiro na disputa: Rodrigo Castro, que marcou 1min50s41 e ficou com a medalha de ouro. ENTRE AS MULHERESA nadadora Gabriella Silva conquistou a medalha de ouro nos 100 metros rasos, com o tempo de 1min00s74. Ela, no entanto, ficou longe do índice para Pequim - 59s35. Na quarta-feira, Gabriella tornou-se a primeira mulher do continente a nadar a distância abaixo de 1 minuto, com 59s79. Ela ainda terá uma outra chance de conquistar vaga à Olimpíada, em maio, no Troféu Maria Lenk. Já na disputa dos 200 metros medley, a vitória ficou com a brasileira Joanna Maranhão, com o tempo de 2min17s10. Ela bateu sua maior rival, a argentina Georgina Bardach, mas não conseguiu o índice olímpico, 2min15s27.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.