Joe Cavaretta/ AP
Joe Cavaretta/ AP

Henrique Rodrigues ganha ouro e Thiago Pereira iguala recorde

Mister Pan fica com a prata nos 200 medley, mas iguala cubano 

Estadão Conteúdo

18 de julho de 2015 | 21h02

Thiago Pereira já igualou o ginasta cubano Erick Lopez em número de medalhas em Jogos Pan-Americanos (22), mas não é mais o melhor do continente nos 200m medley. Campeão no Rio (2007) e em Guadalajara (2011) na sua prova preferida, o "Mister Pan" ficou com a prata em Toronto. Foi superado pelo também brasileiro Henrique Rodrigues.

Os dois mostraram um nível altíssimo no Centro Aquático de Toronto. Com 1min57s06, Henrique assumiu o terceiro lugar do ranking mundial - deixou para trás a lenda norte-americana Ryan Lochte. Thiago, com 1min57s42, agora é o quinto melhor da temporada. Eles também ficam atrás dos japoneses Kosuke Hagino e Dalya Seto.

Thiago Pereira ainda nada mais uma prova em Toronto: o revezamento 4x100m medley, logo mais, para alcançar sua 23.ª medalhas pan-americana. Mas o brasileiro vai embora do Canadá sem ganhar medalha de ouro em provas individuais. Ele chegou na frente nos 400m medley, mas acabou desclassificado por uma virada irregular. A vitória ficou com outro brasileiro, Brandonn Pierry.

Nos 200m peito, Thiago Pereira foi superado pelo também brasileiro Thiago Simon, que faturou o ouro. O Mister Pan ficou com o bronze. Ele abriu mão de nadar os 100m borboleta e os 100m costas para se poupar visando as provas de medley.

MULHERES

Nos 200m medley, Joanna Maranhão não conseguiu repetir o bronze conquistado em Guadalajara. Afinal, encontrou uma prova fortíssima, vencida pela norte-americana Caitlin Leverenz, com 2min10s51, quinto melhor tempo do mundo. Também as demais medalhistas - a americana Meghan Small e a canadense Sydney Pickrem - fizeram marcas que as colocam entre as sete melhores da temporada.

A brasileira completou a prova em 2min12s39, equivalente ao 23.º lugar do ranking mundial, melhor marca dela desde a proibição dos trajes tecnológicos, em 2009. Já Gabi Roncatto, de apenas 16 anos, fez sua primeira final em Jogos Pan-Americanos. Completou a prova em 2min17s02, melhor marca pessoal.

Outra novata, Carolina Bilich, de 20 anos, participou da série forte dos 800 metros livre e terminou apenas no sétimo lugar, com 8min47s94. Considerando também os resultados da série fraca, pela manhã (nas quais competiram as atletas com piores tempos de balizamento), a melhor brasileira foi a jovem Bruna Primatti. Em sua primeira atuação em Jogos Pan-Americanos, a menina de 18 anos foi sétima colocada: 8min40s75. Carol terminou no décimo lugar geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.